De quatro em quatro anos Portugal veste-se com as cores da bandeira, calça as chuteiras e enche-se de orgulho pela sua selecção.

 E por algumas horas esquece-se o aumento do preço dos combustíveis e dos bens alimentares, as paralisações, os protestos, os buzinões, subida das taxas de juro e o défice.

Sempre que se aproxima um jogo da nossa Selecção, o país entra literalmente em stand-by!

Vestimo-nos a preceito de vermelho e verde, colocamos as bandeiras nas janelas, nas varandas e até nos carros, reunimo-nos em frente ao ecrã em casa ou nos múltiplos lugares onde por esse país fora se montaram verdadeiros estádios e em êxtase cantamos o hino.

Nunca como agora se ouviu tanto o hino e nunca como agora tanta gente o sabe de cor e salteado.

Terminados os jogos saímos à rua emocionados e a esbanjar alegria.

Foi assim no Sábado quando vencemos à Turquia, foi assim na quarta-feira quando vencemos à Republica Checa e não foi tanto assim no domingo quando perdemos com a Suiça!

De facto, é inegável o nosso gosto pelo futebol, pela Selecção e pela nossa pátria.

Embora a maior parte das vezes não o consigamos demonstrar, a verdade é que pelos menos de quatro em quatro anos o nosso orgulho em sermos portugueses vem ao de cima.

E sabe tão bem ver a nossa Selecção a ganhar!

Como ficamos orgulhosos com as fintas e os golos do Ronaldo, do Quaresma, do Deco, do Moutinho, do Pepe, do Nuno Gomes, do Simão….que maravilha!

Enchemos o ego e pelo menos no futebol somos dos melhores da Europa e até do mundo!

Confesso que também me emociono a cantar o hino e a ver a nossa Selecção, mas mais emocionada fico ao ver o entusiasmo dos nossos emigrantes na Suiça.

Saudados por milhares de portugueses à chegada à Suiça a Selecção fez-se à estrada para percorrer cerca de 130 Km, sempre acompanhados por mais de 1000 motards e portugueses nas bermas e nas pontes agitando bandeiras e cachecóis até Neuchâtel, casa da nossa Selecção.

Sim casa, porque com tanto carinho, a nossa Selecção a jogar na Suiça esta definitivamente a jogar em casa tal é o apoio demonstrado.

E em Neuchâtel esperava-os um mar de portugueses radicados na Suiça e muitos outros vindos da França, do Luxemburgo e de Portugal.

Isto sim é amor à pátria, mesmo quando tiveram de a deixar em busca de uma vida melhor num país distante.

Que grande generosidade!

Quer seja nas saídas do hotel, quer seja nos treinos, quer seja nos jogos, os nossos emigrantes banham a nossa Selecção com muita alegria, euforia, garra e força para vencer, e que são sem duvida um grande estimulo para vencer o Euro 2008.

Os nossos emigrantes merecem esta vitória e merecem todo o nosso respeito, porque mesmo longe trazem sempre Portugal no coração e sabem demonstra-lo de uma forma inigualável.

Que o nosso orgulho em ser português não seja demonstrado só nos dias em que a Selecção joga mas todos os dias.

Que o nosso autocarro movido a "Vontade de Vencer" chegue a Viena a 29 de Junho e que a vitoria seja dedicada a todos os portugueses espalhados por esse mundo fora.