O candidato António José Seguro esteve na abertura da sede de candidatura, onde decorreu um encontro entre militantes e simpatizantes do Partido Socialista na tarde de sábado, 30 de agosto.

Foi com palmas e palavras de incentivo que o candidato António José Seguro foi recebido na Trofa, na sua sede de candidatura, situada no Largo Pontechique. Depois de ter conversado com os militantes e simpatizantes do Partido Socialista, Seguro assistiu à assinatura da ficha de simpatizante do partido dos mandatários concelhios independentes Lina Felizardo e Miguel Tato Diogo.

Lina Felizardo afirmou estar “presente para apoiar” Seguro, porque partilha “dos mesmos ideais e dos mesmos valores” e acredita que “é o homem indicado para futuro primeiro-ministro de Portugal”. Já Tato Diogo denotou que Seguro é “em todos os aspetos a figura, a pessoa, os valores e os princípios do PS”.

Para Joana Lima, da Comissão Política da Concelhia da Trofa, foi com “muito gosto que mais uma vez” acolheu o Secretário Geral do PS, mas, desta vez, como “candidato a candidato a primeiro-ministro de Portugal”. “É convosco, com o vosso apoio e entusiasmo que no dia 28 vamos ganhar as eleições primárias, para que António José Seguro seja o nosso primeiro-ministro. Obrigada António José Seguro por mais uma vez nos honrares com a tua visita à Trofa. Aliás eu disse-lhe que não precisava de vir à Trofa, porque a Trofa sabe que estás com a Trofa, mas ele disse que não e que passaria nem que fosse um minuto para cumprimentar os trofenses. É por isso que nós te apoiamos e terás todo o nosso apoio”, mencionou.

A sede de candidatura de Seguro na Trofa está aberta de segunda a sexta-feira, das 9 às 19 horas. Joana Lima adiantou que a sede vai “continuar aberta”, estando à espera que “cada um traga mais um simpatizante e que cada um que venha traga outro”, para se inscrever e poder participar nas eleições primárias do Partido Socialista, que decorrem no dia 28 de setembro, que vão decidir quem será o candidato a primeiro-ministro: António José Segurou ou António Costa, atual presidente da Câmara de Lisboa.

Já o candidato António José Seguro referiu que “quem conta com a Trofa conta sempre mais do que a conta, porque os trofenses são gente séria, com exigência ética e solidária”.
Tendo o PS a responsabilidade de “combater este governo que tem feito mal aos portugueses e ao nosso país e de afirmar uma alternativa que devolva a esperança aos portugueses”, Seguro asseverou que apresenta esta candidatura “pela justiça, pelos valores, pela coragem e sobretudo de homenagem a quem nos momentos difíceis deu a cara pelo PS contra todas as dificuldades e trouxe o PS de novo às vitórias quer nas eleições autárquicas, quer nas europeias”. Com uma campanha “em prol de um país justo, decente e que não trata os portugueses em função do dinheiro que têm no bolso ou na conta bancária”, o candidato enumerou que é preciso ter “uma educação de qualidade para todos os filhos e para todos os portugueses”, um “Serviço Nacional de Saúde (SNS) que dê cuidados de saúde quando os portugueses precisam” e de “uma boa Segurança Social pública que pague as reformas e as pensões, que apoie as pessoas que estão no desemprego e que contribua para que aqueles que têm pensões baixas possam viver melhor”.