A Câmara de Santo Tirso e a Escola Secundária Tomaz Pelayo assinaram hoje um protocolo para a coordenação de um projecto contra o desemprego, que envolve várias empresas e instituições educativas do concelho.

A iniciativa, que envolve cerca de 2.500 alunos e 100 professores de uma dezena de escolas, pretende combater o desemprego através do reforço da formação profissional.

“É urgente dar respostas imediatas às dificuldades das populações e das regiões”, salientou Castro Fernandes, presidente da Câmara de Santo Tirso, frisando que esse objectivo só é possível com “novos caminhos, que promovam a transferência de conhecimento e tecnologia”.

A cerimónia de assinatura deste protocolo contou com a presença de Carlos Zorrinho, Coordenador Nacional da Estratégia de Lisboa e do Plano Tecnológico, que elogiou “este projecto inovador a nível local”.

Para Zorrinho, este projecto vai permitir “modernizar o concelho”, manifestando a convicção de que o exemplo de Santo Tirso seja seguido por outros municípios.

O projecto destina-se a estudantes e professores dos vários graus de ensino, que se reúnem em torno do desafio de perspectivar o futuro profissional dos jovens, através de trabalhos práticos a realizar nos Centros CRIES (Computadores, Redes e Informática nas Escolas).

Na primeira fase, já em curso, os participantes estão divididos conforme o grau de ensino que frequentam para discutir e analisar questões relacionadas com o seu futuro profissional.

Nesse sentido, os alunos do primeiro e do segundo ciclo do ensino básico respondem à questão ‘O que quero ser quando for crescido?’, enquanto os do terceiro ciclo analisam possíveis escolhas e percursos formativos.

Para os alunos mais velhos, que frequentam o 12º ano, está em discussão o tipo de alternativas que existem para a inserção no mercado de trabalho.

Até 25 de Abril, os alunos terão que apresentar os seus trabalhos, seguindo-se um concurso para a selecção dos melhores, que serão apresentados a 30 de Abril, numa cerimónia nos Paços do Concelho de Santo Tirso.

Participam nesta iniciativa os agrupamentos de escolas da Agrela e Vale do Leça, de Santo Tirso e de S. Martinho do Campo, o Colégio de Santa Teresa de Jesus e a Oficina-Escola Profissional do Instituto Nun’Alvares.

Os restantes participantes são a Escola Profissional Agrícola Conde S. Bento, a Escola Profissional de Serviços Cidenai e as secundárias D. Afonso Henrique e Tomaz Pelayo.