O filme “O Club da Calceta”, do realizador galego Antón Dobao, foi o grande vencedor do Famafest’ 2009 – Festival Internacional de Cinema e Vídeo de Famalicão, que terminou domingo, anunciou hoje fonte da organização.

A fonte referiu que o filme, que resulta da adaptação ao cinema da novela homónima de María Reimóndez, constitui “uma profunda reflexão sobre a condição feminina” e reuniu a unanimidade do júri do festival, que decorreu em quatro salas do concelho.

A decisão foi tomada pelo júri, composto pelas actrizes Laura Soveral e Suzana Borges (Portugal), Uxia Blanco (Galiza), o realizador e director de “Cinemas Digitais” da Galiza, Anxo Santomil, o director do Festival de Inverno da Bósnia, Ibrahim Spacic, o musicólogo João Pereira Bastos, o sociólogo António Colaço e o escritor Fernando Dacosta.

O júri decidiu galardoar com o Grande Prémio da Lusofonia Manoel de Oliveira a película “Fernando Lopes Graça”, de Graça Castanheira, de produção nacional.

O filme “12 Means: I Love You”, da alemã Connie Walther, recebeu o prémio de Adaptação de Obra Literária.

O Prémio Biografia/Documentário foi para outra obra alemã, “Wagner’s Mastersinger Hitler’s Siegfried”, de Eric Schulz e Claus Wisemann.

O Prémio Criação Jovem ficou em casa, tendo sido entregue ao jovem realizador famalicense Hélder Magalhães, pelo filme “Cântico Negro”.

A concurso estiveram mais de 30 filmes oriundos de países como a Itália, Canadá, Alemanha, Bulgária, EUA, Áustria e Espanha, sendo, no entanto, a grande maioria proveniente de França e Portugal.

O director do FamaFest 2009, Lauro António fez um balanço “muito positivo” do festival, salientando que durante os nove dias do evento milhares de pessoas assistiram gratuitamente ao cinema.

O festival decorreu nos dois auditórios da Casa das Artes, centro do evento, e nos auditórios da Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco e do Centro de Estudos Camilianos, em S. Miguel de Seide.

O Famafest’2009 homenageou ainda a carreira de diversas figuras da cultura portuguesa, com a atribuição do galardão Pena de Camilo.

Neste âmbito, referência para a homenagem às actrizes Laura Soveral e Suzana Borges e aos escritores Mário Cláudio e Urbano Tavares Rodrigues e ainda ao encenador e critico de teatro, Luís Miguel Cintra.