O Ministério do Ambiente já respondeu ao requerimento da deputada Socialista Joana Lima, eleita pelo Círculo Eleitoral do Porto, sobre o estado do processo de pedido de licenciamento da Savinor. De acordo com o ministério "o processo está em fase de instrução, tendo a CCDR Norte comunicado à Agencia Portuguesa de Ambiente que a unidade não assegura o correcto desempenho ambiental…e que a respectiva licença esta dependente da implementação de medidas de controlo de odores". De acordo com o documento na "sequência de uma serie de denuncias a CCDRN promoveu e coordenou uma acção de fiscalização que envolveu representantes da Direcção Regional de Agricultura e Pesca do Norte e da Câmara Municipal da Trofa e da Maia".

   O Ministerio do ambiente informa que "da acção de fiscalização efectuada constatou-se a situação de incomodidade provocada pelos odores tem origem essencialmente nas emissões difusas de poluentes" constatando-se ainda "o estabelecimento carece de sistemas de retenção capazes e eficientes para captação das emissões …e que em alguns pontos da linha de processamento se traduz na produção de cheiros intensos ".

A missiva do Ministério destaca que "a CCDR Norte, devido à actividade de relevância desenvolvida pela Savinor mas tendo presente a salvaguarda do interesse publico de protecção do ambiente atmosférico e da qualidade do ar, julgou necessário impor um conjunto de medidas cautelares e de minimização de emissões atmosféricas".

O NT sabe que a Savinor está a executar uma série de obras para eliminar as emissões atmosfericas de odores que estão a ser acompanhadas pela CCDR Norte mas os maus cheiros continuam a fazer-se sentir.