O Instituto de Línguas da Trofa fecha as portas ao ano de 2007 com uma abordagem festiva à quadra natalícia, à semelhança do que tem acontecido nos últimos 10 anos.

   Conseguir congregar num espaço todo o espírito de natal é uma tarefa difícil: pede-se apoio aos docentes, auxiliares, pais, alunos e antigos alunos. Em sinónimo de sucesso, no dia 18 de Dezembro pelas 21 horas a iniciativa atraiu todos os intervenientes ao auditório Eng.º Eurico de Melo, na Santa Casa da Misericórdia em Santo Tirso.

Eram 21 horas. E, na verdade, eram mais coisas: era noite, eram luzes ligadas, eram papéis que continham o programa, eram pessoas que os liam, eram mais pessoas: com sorrisos porque dali a momentos o pano mágico para a sala iria abrir-se. E abriu. As centenas de pessoas foram-se acumulando nas bancadas, enchendo-as, e deixaram-se guiar pelas ordens dos artistas.

O espectáculo teve início pela voz da Directora Pedagógica, professora Alex Azevedo, que esclareceu o propósito da festa e apresentou os alunos Sara e Miguel Ângelo, a quem ficou atribuído o papel de assumir as rédeas da apresentação da festa, em português e inglês, que é a língua mais procurada neste estabelecimento de ensino.

A festa tornou-se numa performance, no verdadeiro sentido inglês da palavra pois a comunidade escolar participou na acção: as actuações musicais levaram todos os alunos ao palco, juntos ou divididos em classes, para cantarem temas como o Jingle Bells, I Wish it could be Christmas everyday, Oh Happy Day, Feed The World e Merry Christmas Everyone. A solo fizeram-se ouvir Ana Rita, com o tema Breakway de Kelly Clarkson, e Tânia, acompanhada ao piano por Miguel na interpretação do tema When You Believe de Mariah Carey. Ainda houve espaço para entoarem duas peças musicais. Uma, pela flauta de João Viana. Outra, novamente pelo piano de Miguel.

O palco tornou-se ainda mais colorido quando se lhe adicionaram momentos de dança onde para além dos talentos inatos à escola se pediu colaboração ao Joana's Group, um projecto da cidade de Santo Tirso.

Para que esta festa tivesse um sabor a natal, a organização decidiu colocar um brinde na programação – um número de karaté onde se pôde conjugar a inovação e a interacção. Pediram-se voluntariados aos quais se ensinaram algumas técnicas básicas de defesa.

Mas, o Instituto de Línguas é mais do que formar e ensinar a língua inglesa. É também um mote para auxiliar no futuro dos alunos. Exemplo foi a entrega de diplomas da Universidade de Cambridge, que representa a conquista de uma meta. Como explicitou a Directora Pedagógica «para uns é motivo de aumento curricular, para outros significa uma oportunidade de estudar ou trabalhar no estrangeiro».

A festa terminou com um cheirinho bastante inglês. Todos os alunos subiram ao palco e avultaram vozes para chamar o Pai Natal, que no seu saco vermelho trazia doces para todos.

 

Esta foi uma noite agraciada, uma noite que no próximo ano terá um regresso. As escolhas programáticas e a sua execução sobrepõem-se às tentativas descritivas, e todos os anos certamente serão um pedaço único. Todo este formato de alegria resultou num saldo positivo.

 

Diana Silva

Foto: Inês Torcato