A Câmara Municipal de Santo Tirso inaugurou, no dia 23 de novembro, a 7ª edição da Exposição Internacional de Presépios de Santo Tirso, que conta com cerca de 800 conjuntos. A exposição está patente até ao dia 3 de janeiro, no átrio do edifício da Câmara Municipal.

A cidade de Santo Tirso volta a transformar-se na Capital Nacional do Presépio, através da exposição de cerca de 800 presépios, pertencentes a vários colecionadores e artesãos. Um evento promovido, conjuntamente, entre a autarquia tirsense e a Confraria do Caco, que conta com “136 confrades”.

Delfim Manuel, um dos “mais dinâmicos membros” da Confraria do Caco e um consagrado artesão tirsense, “agradece o apoio da Câmara Municipal” e revela que “nunca é muito fácil organizar uma exposição deste tipo, onde existem peças únicas”, considerando que “o esforço vale a pena e a experiência mostra-se cada vez mais enriquecedora”. 

Para Castro Fernandes, presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, este evento “ajuda a consagrar o presépio como um dos mais importantes costumes natalícios”, que permite um riquíssimo “intercâmbio de culturas e artes artesanais de todo o Mundo em Santo Tirso”.

Depois dos presépios portugueses (2006), espanhóis (2007), franceses (2008), africanos (2009), da América latina (2010) e da Europa (2011), vão ficar patentes ao público até ao dia 3 de janeiro, cerca de 800 ícones natalícios do Oriente e Norte de Portugal elaborados e/ou colecionados por ilustres artesãos. “Nós, nos presépios” apresentado nos Paços do Concelho O salão nobre do Paços do Concelho acolheu no sábado, dia 24 de novembro, a apresentação do livro “Nós, nos presépios” de Conceição Alvim Ferraz. Um livro que retrata a história dos primeiros anos de Jesus, onde aborda os temas evangélicos que se incorporam nos presépios e acompanha a modificação da representação artística do nascimento, para analisar as razões pelas quais, desde há muitos séculos, as culturas locais vêm sendo integradas nas representações.

Conceição Alvim Ferraz tem o curso superior de piano pelo Conservatório de Música do Porto, é licenciada e doutorada em engenharia química e professora agregada em Engenharia do Ambiente pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP). Foi professora na FEUP, diretora técnica da Comissão de Gestão do Ar da Área Metropolitana do Porto e diretora geral do Centro Tecnológico da Cortiça. Atualmente está aposentada, é professora convidada da FEUP e perita da Comissão Europeia para o Ambiente. Tem mais de 300 publicações técnico-científicas, das quais mais de cem em revistas internacionais com arbitragem científica.

{fcomment}