O Trofense sofreu uma “chicotada psicológica” com a saída do treinador Neca. Enquanto a direção não escolhe o novo técnico, é Vítor que regressa para orientar os trabalhos.

O Clube Desportivo Trofense rescindiu o contrato com Neca. O treinador da equipa profissional reuniu-se com a direção do clube na tarde desta quarta-feira e acabou dispensado, assim como os treinadores adjuntos. Os “maus resultados” e “a necessidade de inverter a situação” foram os motivos que levaram a direção liderada por Paulo Melro a rescindir dos serviços de Neca. Segundo fonte ligada ao emblema da Trofa, a decisão foi “consensual”.

Contactado pelo NT, Neca afirmou que a saída era encarada pela direção como “um facto consumado”, pois “queriam mudar de orientação” e “quando assim é não se pode fazer nada”. O técnico afirmou que “acreditava completamente” que a equipa iria progredir como o fez desde o início da época, salvaguardando que “não contava” com os maus resultados que assolaram a equipa nas últimas jornadas. “Está ali um trabalho do qual me orgulho muito e de todos os que fizeram. Começamos por levar cinco (golos) de cada vez e para levantar jogadores com esses resultados é preciso ter estofo e passado”, referiu, sublinhando que o orçamento do Trofense nesta temporada “vai ficar na história da 2ª Liga como o mais baixo”. Frisando que “foi um prazer” trabalhar “com a rapaziada toda” e que juntos estavam “a perseguir os objetivos”, Neca revelou que não teve tempo para se despedir do plantel e que o irá fazer “através de mensagens de telemóvel”.

O treino desta quinta-feira vai ser orientado por Vítor, antigo jogador e ex-treinador de guarda-redes do clube, que está de regresso e terá o apoio do capitão Tiago.

A direção do Trofense já está a sondar treinadores e, até ao fecho desta edição, ainda não existiam nomes em cima da mesa.

{fcomment}