Festas em honra de S. Bartolomeu começam dia 22 e terminam a 24 de Agosto

S. Romão do Coronado enche-se de cor, luz e alegria com a festas em honra de S. Bartolomeu. O NT entrevistou os membros da comissão de festas que dizem ser "cada vez mais difícil organizar as festas", mas para "contornar a crise" organizaram, desde Setembro de 2007, várias iniciativas na freguesia que resultaram em lucro.

 De dois em dois anos a freguesia de S. Romão do Coronado recebe as festas em honra de S. Bartolomeu. Para atrair romeiros a esta festa a comissão compôs um cartaz apelativo, sem esquecer a tradicional procissão com a saída à rua de treze andores enfeitados.

"A festa começa dia 22, nesse dia à noite temos três ranchos folclóricos, no sábado (dia 23) à noite temos também um artista, Jorge Ferreira e no domingo temos danças e os finalistas do karaoke que organizamos no Centro Paroquial, a seguir aos doze finalistas do concurso de Karaoke actua a banda Ivason e no domingo vai decorrer a procissão às 17 horas da ", explicou José Paredes, vice-presidente da comissão de festas.

A organizar a festa pela terceira vez consecutiva, José Paredes diz ser "cada vez mais difícil organizar as festas", porque "é preciso muito trabalho e novas formas de angariar dinheiro". Para "contornar a crise" os elementos da comissão de festas organizaram, desde Setembro de 2007, várias iniciativas que resultavam em lucro e traziam novas pessoas para a freguesia.

"Optamos por criar novos eventos que chamem as pessoas da terra e não só, porque as pessoas da terra acabam por ficar um pouco sacrificadas, porque há muitos peditórios e as pessoas muitas vezes nem abrem a porta", afirmou José.

O primeiro evento foi a constituição de um cabaz de Natal, com a venda de rifas, depois o tradicional "jantar de sarrabulho", que todos os anos junta cerca de 600 pessoas à volta da mesa e a prova de freestyle "onde juntamos mais de mil pessoas".

Para além destas actividades a comissão de festas decidiu inovar e "pela primeira vez organizamos um jogo com uma vaca, marcamos um campo de futebol com três mil e dez quadrados e cada pessoa apostava no seu quadrado, a vaca andava à solta no campo e onde fizesse as suas necessidades era a quem saía o prémio de 250 euros". Para além deste jogo "pouco usual", organizaram ainda um concurso de Karaoke, que durou duas semanas, onde participaram 30 cantores. "Desses foram escolhidos os 12 que como prémio vão cantar no dia da festa. Foi um sucesso", acrescentou Germano Pereira, presidente da comissão de festas.

Os elementos da comissão dizem ser estas actividades que trazem mais visitantes à freguesia, mas assinalam ainda a tasquinha, onde vendem petiscos e bom vinho, como um ponto de paragem aos fins-de-semana, sendo esta também "mais uma forma de angariar dinheiro para organizar a festa".

Quanto ao facto de as festas se realizarem de dois em dois anos, José Paredes disse em entrevista ao NT, que "se fosse todos os anos sempre a mesma comissão era muito cansativo". Contudo as festas em honra de S. Bartolomeu só começaram a "ter um maior significado" quando decidiram prolongar as festas de Santa Eulália "que duravam apenas um dia". "Dizem que a festa de Santa Eulália é mais antiga que a de S. Bartolomeu. Mas foi quando se lembraram fazer a festa de Santa Eulália parecida com a que se fazia em honra de S. Bartolomeu, porque a festa em honra da santa durava apenas um dia, a partir daí começou a criar-se uma certa rivalidade entre as duas comissão de festas para fazer o melhor", afirmou José Paredes.

Para Germano Pereira, a organização desta romaria na freguesia de S. Romão "dá muito trabalho, são muitas horas gastas, muito tempo perdido", mas no final dizem "tudo valer a pena".