Assinalando uma das melhores épocas já feitas pelo clube, o S. Romão conseguiu alcançar o sexto lugar, mesmo com a derrota da última jornada frente ao Guilhabreu.

Com quarenta e sete pontos conquistados, o S. Romão terminou assim a temporada 2005/2006, em sexto lugar. Mesmo jogando em casa o S. Romão teve uma partida difícil com o Guilhabreu, que tencionava ganhar e, esperar que o Desportivo de Portugal “escorregasse” para atingir o segundo lugar.

A equipa forasteira entrou dentro de campo, com uma atitude mais ofensiva, mas o S. Romão aguentava todas as investidas do adversário, fechando-se de forma organizada, de forma a manter o domínio de jogo.

Aos oito minutos de jogo, uma presumida “mão na bola” dentro da área não foi castigada pelo árbitro, o que levou contestação dos adeptos romanenses. No entanto na jogada seguinte não hesitou em assinalar uma grande penalidade contra o S. Romão, que foi convertida, colocando assim a equipa da casa a perder.

O S. Romão não desistiu e tentou o empate, mas pelo contrário acabou por sofrer o segundo golo, na sequência de um contra-ataque rápido. Ainda antes do intervalo e, não se dando por vencida a formação caseira diminuiu a desvantagem, depois de José Manuel Monteiro ter alargado a frente de ataque, fazendo entrar Vítor Lopes para o lugar de Gualter.

Na segunda parte o Guilhabreu surgiu cauteloso. Jogando a maior parte do tempo recolhida no seu meio campo, quando saía em contra-ataque, acabava sempre com remates altos e desenquadrados com a baliza. As únicas defesas de Tiago nesta parte da partida foram apenas com um remate que surgiu perto da barra e em dois cantos consecutivos, que o Guilhabreu dispôs. Raimundo nas costas da defesa quase marcou, assim como Baradas com um cabeceamento fraco. Vítor Lopes também procurou o golo do empate, mas o resultado manteve-se até ao apito final do árbitro.

Treze vitórias, oito empates e nove derrotas colocaram o S. Romão em sexto lugar, com quarenta e sete pontos, os mesmos que o Gondim. O Serzedo conseguiu o primeiro lugar com sessenta e nove pontos. O Guilhabreu com a vitória e, beneficiando do empate do Desportivo de Portugal com o Cruz por 1-1, ascendeu ao segundo lugar com sessenta e três pontos. O Vila Chá e o Cruz alcançaram o quarto e quinto lugar, respectivamente, somando ambos cinquenta e quatro pontos. Com vinte e três pontos o Covelas não foi além do antepenúltimo lugar, a frente do Gatões com catorze pontos e do Lavrense com apenas oito.

Classificação da 2ª Divisão, série 1 da AFP

01º – Serzedo – 69 pontos

02º – Guilhabreu – 63 pontos

03º – Desp. Portugal – 63 pontos

04º – Vila Chá – 54 pontos

05º – Cruz – 54 pontos

06º – S. Romão – 47 pontos

07º – Gondim – 47 pontos

08º – Atl. Vilar – 45 pontos

09º – Lusit. Stª Cruz – 44 pontos

10º – Ramaldense – 40 pontos

11º – Atl. Tio Tinto – 36 pontos

12º – Mindelo – 32 pontos

13º – Milheirós – 27 pontos

14º – Covelas – 23 pontos

15º – Gatões – 14 pontos

16º – Lavrense – 8 pontos