Presidente do Trofense na primeira pessoa

Depois da contratação de Toni para o comando técnico do CD Trofense, da remodelação da equipa directiva e do anuncio da entrada de alguns jogadores, o presidente da Direcção Rui Silva fez uma balanço da época passada e explicou quais os projectos do Clube para a próxima temporada.

Rui Silva diz-se "satisfeito com os resultados obtidos nas camadas da formação do clube" e no que à equipa sénior diz respeito o presidente afirma que os "objectivos delineados foram os delineados já que pretendíamos conseguir a manutenção na Liga Vitalis e conseguimos".

O presidente do Trofense confessa que "sendo esta a primeira época de quase todos os elementos da direcção, esta foi uma época de adaptação e de aprendizagem e penso que para a próxima época que se avizinha estaremos ainda mais fortes".

Apesar de muito se ter falado sobre os objectivos da próxima temporada passarem pela subida à Liga Bwin, Rui  Silva afiança que "esse não é o nosso projecto. Temos uma estrategia delineada com a equipa técnica liderada pelo mister Tony, que passa por um crescimento faseado da equipa sénior e que, quem sabe daqui a duas ou três épocas o Trofense vai estar no escalão principal do futebol português", acrescentou.

Apesar de a permanência de Daniel Ramos como técnico principal ter estado "em cima da mesa", o presidente considerou que "Apesar de ser bom treinador, não tinha o perfil que eu entendo que, nesta altura deve ter um treinador do CD Trofense. Por essa razão escolhi o mister Tony".

Para a pré- época o Trofense fez regressar ao clube atletas que se formaram nas camadas jovens como é o caso de Leonardo, Zé Miguel Rios entre outros para "serem avaliados pelo treinador". No que diz respeito a novas contratações Rui Silva garante que falta ainda chegar a acordo com "dois centrais e um ponta de lança", assegurando ainda que "dois juniores das nossas camadas jovens, o defesa-direito Ribeiro e o central Mario Jorge, vão também fazer a pré-época". A aposta para a nova temporada passa por um "misto de experiencia e juventude" e por essa razão o Trofense não só procura jogadores experientes mas aposta também nos jovens, formados nas escolas do clube.

Além das obras de grande vulto na construção de bancas, balneários, bancada e sala de imprensa, levadas a cabo na época passada, as máquinas não param no estádio. Está a ser feita a instalações de um sistema de drenagem de água para evitar que "com a chuva, tal como aconteceu esta época, o relvado fique em mau estado". Apesar do grande investimento feito Rui Silva garante "não estou cá para endividar o clube nem para me servir, estou para servir o Trofense".

Mas não é só em infra-estruturas que o CD Trofense cresceu. "De 800 sócios pagantes passamos para 1400 o que para um Clube como o nosso é muito bom", assegurou o presidente, acrescentando que "agora precisamos cada vez mais de apoio quer dos sócios quer dos trofenses em geral. Se conseguirmos ter 4 mil sócios é já uma vitória para esta direcção".

Rui Silva quer que o Trofense "deixe de ser um clube só de S. Martinho e passe a ser um clube de todo o concelho. A Liga de Honra tem custos muito avultados e por isso todo apoio quer da industria, do comércio e de todos os trofenses é imprescindível".

Apostar na formação de homens e jogadores

"Formar homens e jogadores" é a grande bandeira da direcção do CD Trofense. Rui Silva garante que a prioridade neste momento passa por "criar condições físicas no complexo de Paradela para que os jovens não tenham de praticar desporto no pó e na lama. Estamos a tentar legalizar os terrenos do complexo para depois avançar com a colocação do relvado sintético", assegurou.

O CD Trofense tem neste momento 250 crianças a praticar futebol e os resultados alcançados nos diversos escalões têm vindo a melhorar. "Os infantis estão já a jogar nos nacionais e pretendemos ver os outros escalões também nesse patamar", concluiu