O atleta Rui Pedro Silva vai representar o país nos Europeus de Belgrado, a 8 de dezembro.

O atleta trofense Rui Pedro Silva venceu de forma folgada o 24º Cross Cidade de Amora, que se realizou no domingo, que serviu de seleção das equipas nacionais ao Europeu, que se realiza em Belgrado, no dia 8 de dezembro.

No final da prova o maratonista chegou a ameaçar abdicar da presença na prova internacional, queixando-se da falta de apoio da Federação Portuguesa de Atletismo. “Agora irei falar com o meu treinador (João Campos), para decidirmos se vale a pena ir ao Europeu tanto mais que o único apoio que recebo é o do meu clube (Benfica). A Federação não me liga nem me apoia. Nem a mim nem aos outros”, afirmou, em declarações à comunicação social. O atleta assinalou ainda falta de “apoios médicos no Porto” e “financeiros”. “Quando só temos apoio do clube, temos de representá-lo. Até parece que pretendem que as equipas paguem para os atletas correrem pela Seleção Nacional”, acrescentou.

No entanto, no dia seguinte, a Federação publicou a lista de selecionados para o Europeu de Corta-Mato, onde figurava o nome de Rui Pedro Silva nos quatro seniores masculinos que representarão o país. Dulce Félix é outro dos nomes sonantes do lote de 24 elementos que vestem a camisola da seleção nacional na Suécia.

Na prova de Amora, Rui Pedro Silva teve uma vitória folgada, ao terminar os 10 quilómetros em 31 minutos e 31 segundos, com 17 segundos de vantagem sobre o sportinguista António Silva e 19 sobre Luís Pinto, também do Sporting.

 

Mínimos para os Europeus de Zurique

O 3º lugar, com 2h13m11s, na Maratona do Porto, a 3 de novembro, deu os mínimos ao atleta trofense para os Europeus de Zurique, que se realizam no próximo ano. Rui Pedro Silva não conseguiu fazer com que a 10ª edição da prova tivesse um vencedor português. O queniano Josh Mutais levou a melhor, com 2h13m04s, com três segundos de avanço sobre o etíope Getachew Abayu e sete sobre o Rui Pedro Silva.

Chaltu Waka venceu a prova feminina, com um tempo de 2h40m44s, enquanto Rosa Madureira foi 4ª classificada, e melhor portuguesa, com 2h43m14s.