O Rali de Mortágua está a tornar-se num talismã para alguns pilotos. Se no ano passado foi Armindo Araújo a garantir o título na prova, organizada pelo Clube Automóvel do Centro, este ano e sem surpresa, foi a vez de Bruno Magalhães garantir o ceptro de campeão nacional. Já nos Clássicos a dupla trofense Rui Azevedo/João Andrade, alcançaram o título absoluto nesta categoria ao vencer quatro provas e ao classificar-se em segundo lugar numa das sete competições.

ralimortagua.jpgO piloto trofense Rui Azevedo e o seu navegador João Andrade, sagraram-se campeões de Rali Clássicos, na prova de Mortágua, que decorreu este fim-de-semana, na penultima jornada do campeonato. A correr em Ford Escort, a dupla adoptou um ritmo cauteloso, porque "o importante era terminar a prova e assegurar o título". O piloto trofense, apesar do segundo lugar da tabela, revalidou o título, tornando-se bi-campeão nacional, arrecadando o terceiro título da carreira.

A dupla Rui Azevedo/João Andrade arrecadaram quatro vitórias nas primeiras provas do ano , mostrando logo no início a vontade de levar para casa o terceiro titulo da carreira. Rui Azevedo em declarações ao NT agradeceu "quer em meu nome pessoal quer em nome do meu co-piloto, João Andrade, a vossa gentileza, não só na mensagem de parabéns, quanto ao acompanhamento a par e passo da nossa equipa ao longo da época", acrescentando estar "feliz e satisfeito não só por mim mas por toda a equipa, piloto, navegador, equipa técnica, apoiantes e patrocinadores, pela reconquista de mais um campeonato".

Depois de mais esta conquista o piloto admitiu que " este terceiro titulo de Campeão Nacional de ralis Clássicos (depois de vários títulos de vice-campeão) culmina com um virar de página no capitulo dos ralis, já que está completamente posta de parte a participação assídua em busca de qualquer titulo", frisando no entanto que não quer isto dizer que não esteja equacionada a possibilidade de participar na próxima época em dois ralis, os que se realizam bem perto de casa".

O campeão da Trofa evidenciou "estar já a preparar 2008, com um projecto para a velocidade, nomeadamente o Campeonato Nacional de Velocidade Clássicos 1300, para o qual já temos o apoio confirmado da "Cartrofa" e da "Ford DARO", faltando ainda mais alguns apoios que possam fazer andar este projecto, pois a concretizar-se pretendemos fazê-lo com os mesmos métodos que o fizemos até agora, cujos resultados são bem conhecidos", concluiu Rui Azevedo.

A prova de clássicos foi ganha pelo Renault 5 Turbo de José Sousa e Joaquim Santos (Ford Escort) fechou o pódio. O trofense João Batista, navegador de Jorge Areia à entrada deste rali estava em segundo lugar no campeonato e podia ainda lutar pelo título, mas o 5º lugar final deitou por terra todas as esperanças desta jovem dupla.

No Nacional de Ralis tudo se decidiu logo na segunda especial com o despiste de José Pedro Fontes (Fiat Punto S2000), ele que era o único que ainda podia aspirar ao título, mas com este abandono entregou o ouro a Bruno Magalhães (Peugeot 207 S2000) que daí até ao final apenas teve que controlar o andamento de Mex (Mitsubishi Lancer) para vencer mais um rali e sagrar-se campeão nacional. Mex mais uma vez demonstrou um excelente andamento e viria a terminar no segundo posto da geral,deixando no ar alguma expectativa para o campeonato de 2008. Fernando Peres (Mitsubishi Lancer) depois de revalidar o título de Campeão dos Açores voltou ao continente para fechar o pódio no Rali de Mortágua.

Miguel Mascarenhas

Marco Monteiro