Select Page

Rotary desafia a caminhar contra a pólio

Rotary desafia a caminhar contra a pólio

O Rotary Club da Trofa promove, a 28 de abril, uma caminhada solidária para combater a poliomielite, vírus que afeta crianças, podendo provocar paralisia. Os fundos angariados servirão para adquirir vacinas que previnem a doença que, apesar de estar 99,9 por cento eliminada, continua endémica em três países e pode crescer de forma galopante a qualquer momento.

Poliomielite pode ser uma palavra pouco comum para a maioria dos leitores, mas faz parte do dia a dia dos clubes rotários desde 1985. Foi o ano em que o Rotary Internacional abraçou o desafio de erradicar a doença, conhecida por paralisa infantil ou por “pólio”, que se transmite por via de uma infeção causada ingestão de substâncias – como água – contaminadas por fezes infetadas. A infeção estende-se a todo o corpo, mas o cérebro e a espinal medula são os mais gravemente afetados.

Nos países em vias de desenvolvimento, as crianças com menos de cinco anos são especialmente propensas a infetar-se, podendo sofrer de paralisia irreversível. Cinco a dez por cento dos infetados podem morrer por consequência da doença.

Desde que os clubes rotários começaram a trabalhar para prevenir a doença, foi possível vacinar 2,5 biliões de crianças e o vírus foi eliminado em 99,9 por cento, estando atualmente endémico em três países, Nigéria, Paquistão e Afeganistão, marcados por intensos conflitos e aos quais é difícil aceder.

Até agosto de 2018, contabilizaram-se somente 13 casos, realidade que dá boas indicações, mas não desarma quem desde há quase 35 anos trabalha para erradicar a pólio. A explicação para o alerta constante é fácil: o vírus pode voltar e causar 200 mil casos anualmente, dentro de uma década.

Acontecimentos como o que ocorreu com o ciclone Idai, na Beira, em Moçambique, e os fluxos migratórios são potenciais rastilhos do vírus, devido às fracas condições sanitárias.

Perante esta realidade, o Rotary Club da Trofa decidiu, pela primeira vez, organizar uma iniciativa inteiramente dedicada à angariação de fundos para a vacinação contra a poliomielite. A 1.ª Caminhada Solidária realiza-se a 28 de abril, às 9.30 horas, e tem início e fim no Parque Nossa Senhora das Dores, num percurso urbano de cerca de cinco quilómetros, com grau de dificuldade baixo.

A participação tem o custo de cinco euros – que permitem vacinar dez crianças – e as inscrições estão abertas, podendo ser feitas no quartel dos Bombeiros Voluntários da Trofa, na sede da Cruz Vermelha da Trofa, nos polos da Junta de Freguesia de Bougado, ou no secretariado da caminhada, no próprio dia. O preço da inscrição é mais baixo para jovens.

A expectativa da organização é que “500 pessoas” participem e assim angariar fundos que, logo à partida, permitam vacinar “cinco mil crianças”. E logo à partida, porque, como explicou o presidente do clube rotário, António Sousa, fruto de uma parceria com o Rotary Internacional, a Fundação Bill Gates “duplicará qualquer verba angariada para combater a pólio”. “Se angariássemos dois mil euros, daria, na prática, para adquirir dez mil vacinas”, exemplificou.

“Para nós, é importante fazer a divulgação do que é a poliomielite, quais são as causas e as suas graves consequências e, ao mesmo tempo, angariar dinheiro para ajudar na sua erradicação”, sublinhou Rosela Araújo, membro do Rotary Club da Trofa, que destacou igualmente a intenção de juntar as famílias por uma causa.

Videos

Loading...

Siga-nos

1ª página da edição papel

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização