Rosa Mota esteve na Trofa para participar nas Olimpíadas Escolares de 2011. A ex-atleta olímpica conversou com os jovens e respondeu a algumas questões.

As palmas e os gritos de apoio encheram o Pavilhão da Escola Básica EB 2/3 de S. Romão do Coronado, na tarde de segunda-feira, 23 de maio. À medida que Rosa Mota avançava por entre os jovens, estes não escondiam a alegria e o orgulho por estar tão próximos da campeã portuguesa.

A antiga campeã olímpica esteve na Trofa não para correr nas Olimpíadas Escolares, mas para dar alguns conselhos aos jovens atletas e assistir a algumas provas. “Foram muito calorosos e simpáticos, mesmo que nenhum deles me tenha visto correr. Foi muito agradável, senti-me quase como se fosse da idade deles”, confessou Rosa Mota.

A atleta respondeu a algumas questões lançadas pelos alunos dos estabelecimentos de ensino do concelho. Os jovens quiseram saber, entre outras coisas, como é que a atleta “ganha a vida” depois de ter terminado a carreira desportiva. Rosa Mota explicou que vive daquilo que ganhou quando corria. A atleta deixou ainda um conselho às centenas de jovens que a ouviam atentamente: “A receita para ser campeã olímpica é aproveitar o dia a dia para preparar o momento da competição. Se não fosse assim não teria alcançado as vitórias”.

“Foram as questões normais que é habitual fazerem. Acho muito bem que queiram saber mais coisas sobre a minha vida”, acrescentou.

 No final, os alunos estavam satisfeitos com o dia que passaram e com a possibilidade de conhecer a atleta. Cátia Gomes defendeu as cores da Escola Secundária da Trofa nas modalidades de lançamento de peso e voleibol: “É uma iniciativa que reúne todos os jovens talentosos do concelho, o que é bom, pois permite o convívio entre todos”. Além disso, “é sempre uma honra poder receber um nome tão importante como foi a Rosa Mota”. A jogar pelo Colégio da Trofa, Alexandra Leite chegou à final de basquetebol. Também para esta jovem, a presença da atleta portuguesa foi um “dos pontos altos” do dia. Já Patrícia Silva e Joana Fernandes estavam a jogar em casa, representando a EB 2/3 de S. Romão do Coronado. Apesar de terem “ficado praticamente em último” na prova de futsal, as duas amigas estavam contentes. Afinal, “o importante é participar”. “Foi uma manhã diferente, com muita gente nova, que tivemos a oportunidade de conhecer”, referiram.

Vencedora da medalha de ouro nos jogos olímpicos de Seul em 1988, Rosa Mota mostrou-se satisfeita com a iniciativa organizada pela Câmara Municipal: “Fico contente de ver estas Olimpíadas Escolares”. “Esta é uma oportunidade que dão a todos os jovens de praticarem desporto mais a sério ou só pela atividade física, que também é importante. Para além disso, abrem as portas do desporto não só às pessoas ditas normais, mas também àquelas que têm alguma deficiência”, considerou, referindo à participação das equipas da APPACDM (Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental) da Trofa .

As olimpíadas escolares são organizadas anualmente pela Câmara Municipal da Trofa. “Foi um dia de muita animação e de muito desporto e para nós é um gosto estar aqui com os jovens do concelho”, afirmou a presidente da autarquia, Joana Lima. A edil sublinhou, ainda, a importância da presença de uma atleta olímpica na iniciativa: “Sem dúvida que veio abrilhantar este evento”. “A presença da Rosa Mota traz sempre uma mais-valia a qualquer concelho, a qualquer desporto e a qualquer jovem”, acrescentou.

As Olimpíadas Escolares reuniram em S. Romão do Coronado centenas de jovens, que tiveram a oportunidade de praticar várias modalidades desportivas, como basquetebol, voleibol, futsal ou atletismo.

 

{fcomment}