Levar a informação à população é o objetivo do Road Show “Tratado de Lisboa em Movimento”, que esteve estacionado no Parque Nossa Senhora das Dores. Projeto não teve recetividade na Trofa.

A autocaravana forrada com a bandeira da União Europeia (UE) foi um elemento dissonante no Parque Nossa Senhora das Dores, mas nem por isso atraiu muitos curiosos. O Road Show “Tratado de Lisboa em Movimento” estacionou na Trofa na segunda e terça-feira, para explicar aos trofenses as implicações deste que é um dos documentos que constitui os marcos mais importantes da existência da UE, que congrega 27 estados-membros e quase 500 milhões de pessoas.

Guilherme Núncio, formador do projeto, confirmou o desinteresse dos trofenses em saber mais sobre o Tratado de Lisboa: “Tivemos alguns cidadãos que nos colocaram questões para saber por é que estávamos aqui e o que estávamos a fazer, mas a recetividade na Trofa não foi a esperada”.

 

Guilherme Núncio afirmou que o que aconteceu na Trofa é o espelho do país. “Estivemos em algumas cidades em que tivemos muitos visitantes, mas a regra é que as pessoas não estão muito viradas para este assunto”, afirmou.

 

Mas, a experiência não deixa de ser enriquecedora, já que com as viagens, “dá para perceber as motivações das pessoas e traçar uma imagem do País, de norte a sul”.

Depois da Trofa seguem-se muitas mais cidades, dentro do distrito do Porto, Lisboa, Aveiro e Coimbra.

O projeto “Tratado de Lisboa em Movimento” surgiu depois de um inquérito feito à população, cujos resultados apontavam para que apenas dois por cento dos portugueses sabiam o que era o documento.

{fcomment}