Rita Redshoes veio até ao Porto apresentar Life is a Second of Love, o sucessor de Golden Era e Lights & Darks. Um regresso à mítica sala do Porto depois de em 2012 ali ter apresentado, em duas sessões lotadas, o espetáculo The Other Women: O mundo nas cancões d’elas.

Rita entrou na sala e atravessou o espaço pelo meio do público, para se sentar ao piano, onde a solo, tocou e cantou Waves of Emotion, abrindo as hostilidades do concerto e arrancando os primeiros aplausos da noite. Ao longo de hora e meia de espetáculo, com direito a encore, Rita cantou e muito encantou, mostrando-se comunicativa e simpática, e apelando à participação da assistência.

Num concerto centrado nas novas canções, a songwriter de sapatos vermelhos não deixou de percorrer o repertório dos álbuns anteriores, tendo-se ouvido No Matter What, Broken Bond,  White Lies, You Should Go,  The Beginning Song, Blood Deal, Which one is the Witch?, In This White Room, Minimal Sounds, Dream on Girl, Both Sides Now (original de Joni Mitchell), Four Women (original de Nina Simone), Woman, Snake, Choose Love, Captain of My Soul, Once I e Hey Tom. Pelo meio Rita foi confessando sentir-se estragada com os mimos recebidos, e exprimindo o seu amor pela cidade que a acolhia naquela noite. Houve tempo para contar pequenas histórias como a do feiticeiro que no Senegal “adivinhou” o seu fim, ou a da Sr. Alzira, empregada no hotel onde Rita ficou no Porto. There’s no Sky, num solo de Rita e Vidal (um dos músicos que a acompanha), e com os fãs que respondendo ao apelo da cantora rodearam o piano, fechou o concerto.

A procura de bilhetes tinha sido tal que a artista deu um segundo espetáculo às 23h, para acomodar todos os fãs que não tinham conseguido bilhete para o horário das 21h.

Texto: Joana Vaz Teixeira
Fotos: Miguel Pereira

Fotogaleria (clica nas imagens para aumentar)
{phocagallery view=category|categoryid=77}