trofense-rioave-ligasagres

O treinador do Rio Ave considerou hoje “crucial” o jogo com o Trofense marcado para domingo, em Vila do Conde, tendo em conta que vão defrontar-se os dois últimos classificados da Liga portuguesa de futebol.

“É um jogo de emoções, mas que em outras circunstâncias seria um jogo normal”, acrescentou Carlos Brito, na antevisão deste encontro referente à 25ª jornada e que será dirigido pelo árbitro Jorge Sousa, do Porto.

As circunstâncias mostram um Rio Ave numa situação cada vez mais difícil, que não ganha desde a 19ª jornada e apresenta o ataque menos concretizador da prova, com apenas 14 golos marcados em 24 jornadas.

Os números mostram também que o Trofense já obteve duas vitórias fora, algo que o Rio Ave ainda não conseguiu e que Carlos Brito também referiu.

“Estou à espera de uma equipa difícil, a jogar bem no contra-ataque e que fora tem estado melhor do que nós”, especificou.

Rio Ave, com 17 pontos, e Trofense, com 19, lutam por “um objectivo comum”, que é a manutenção, e “daí o jogo ser muito importante”, continuou o técnico do conjunto de Vila do Conde.

“Em caso de vitória, saímos do último lugar e aproximamo-nos da frente”, frisou Brito, que substituiu João Eusébio após a 13ª jornada, em Janeiro, quando a equipa se encontrava em 15º lugar.

O Rio Ave reforçou-se, então, com quatro unidades atacantes (Candeias, Yazalde, Fábio Coentrão e Pedro Moutinho), mas, 11 jogos depois, caiu para o 16º lugar e tem mais sete pontos e apenas mais quatro golos apontados.

Face a este panorama, o Rio Ave praticamente não possui margem de manobra e um novo desaire deixa a equipa a cinco pontos do Trofense.

“A equipa tem a noção de que vai encontrar um adversário aguerrido, mas o Rio Ave também é uma equipa de força”, afirmou Carlos Brito, reconhecendo que “nem tudo tem corrido bem, o que também é fruto de não surgirem vitórias”.

O treinador pede à sua equipa concentração e “entrega” durante os 90 minutos, “aconteça o que acontecer”.

O guarda-redes Paiva lesionou-se esta semana no pé, mas recuperou e já treinou hoje.

“Não fez o treino na sua totalidade por opção, mas estou a contar com ele”, indicou Carlos Brito, que esta semana, aliás, trabalhou com muitas limitações devido à lesão de seis jogadores.

Miguel Lopes, que se lesionou frente ao Nacional, na 22ª jornada, está ainda em dúvida, tal como Livramento, igualmente com problemas físicos.

Delson, que tinha uma infecção na unha de um pé, está operacional, ao passo que Candeias continua indisponível por estar ainda a recuperar de um lesão no tornozelo esquerdo.

Lusa