Popular alertou, no dia 4 de maio, para uma descarga poluente no ribeiro de Covelas. ADAPTA apela à comunidade, para que denuncie estes “atentados ambientais” às autoridades competentes.

“As águas do ribeiro de Covelas apareceram novamente negras, resultado de mais uma descarga poluente”. O alerta foi dado pela direção da ADAPTA – Associação para a Defesa do Património da Região da Trofa que, cerca das 14 horas de sábado, dia 4 de maio, foi avisada por um popular. A Guarda Nacional Republicana (GNR) da Trofa também foi contactada e reencaminhou para o Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) do Destacamento Territorial da GNR de Santo Tirso.

Segundo Pedro Daniel Costa, presidente da ADAPTA, pela “coloração negra” que ainda pode ser vista ao longo de “toda a extensão” do rio, “não se tratou de uma pequena descarga”. “Este ribeiro dispõe de caudal de água durante todo o ano, com maior afluência no inverno, mas sem qualquer vestígio de vida aquática. Estes atentados são frequentes e, muitas vezes, devastadores, sendo que os detritos podem permanecer durante semanas no ribeiro, até serem ‘lavados’ pelas fortes chuvadas”, referiu.

O NT contactou o Destacamento Territorial da GNR de Santo Tirso, que informou que a equipa estava a fazer diligências no terreno, para se descobrir quem foi o autor desta descarga. Contudo, até ao fecho desta edição, ainda era desconhecido.

O presidente da ADAPTA lamenta que, embora esta situação seja do conhecimento da “maioria da população”, “não se utilize as ferramentas disponíveis para denunciar estes atentados ambientais e de saúde pública”, para que as “autoridades competentes” possam atuar. “Não acreditamos que sejam insensíveis a estas situações que, muitas vezes, interferem com a própria qualidade de vida”, denotou.

Apesar de apontar como “possíveis causas” para esta “insensibilidade” a “falta de conhecimento dos meios disponíveis ou o descrédito nas entidades responsáveis”, Pedro Daniel Costa apela à comunidade, para que “defenda o direito a um ambiente limpo e saudável”. Para isso, quando detetar algum atentado ao meio ambiente, contacte o Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) da GNR, através do número 808 200 520, e a ADAPTA, através do número 916 701 823.