A equipa espanhola Rias Baixas terminou com a invencibilidade da GT Team de Braga, ao vencer a 9.ª edição das 24 horas de Slotcar. A prova, organizada pelo Clube Slotcar da Trofa, contou com a participação de equipas vindas de Guimarães, Braga, Lisboa e Vigo.
Segundo David Monteiro, da Rias Baixas, a prova “passou bem” e o carro foi “dos mais rápidos nas retas”. “A certo tempo houve problemas de conetividade elétrica, geral a todos os carros. No final, foi administrar a vantagem que fomos conseguindo ao longo da prova”, contou.
A novidade desta 9.ª edição foi a pista com 80 metros de perímetro. David Monteiro referiu que “nunca viu um traçado tão grande como este”, enumerando que quando chegaram “não sabiam que cremalheira escolher, porque as retas eram muito grandes”. Quanto à organização, o atleta espanhol denotou que “funciona sempre bem” e “quando há um pequeno problema” que resolvem “sempre bastante rápido”.
Já o membro da direção do Clube Slotcar da Trofa, Diogo Fernandes, fez um “balanço positivo” desta 9.ª edição, mencionando que, pela classificação, “as primeiras três equipas foram muito competitivas”, existindo apenas “uma a duas voltas” de diferença entre elas. O Clube esteve representado na competição por três equipas e 11 elementos. Uma ficou em 2.º lugar e as outras ocuparam os dois últimos lugares. “Não correu tão bem em termos classificativos, mas em termos participativos toda a gente gostou. Participamos e todos nos divetimos”, afirmou.
Quanto à aposta numa pista de oito calhas com 80 metros de perímetro, Diogo Fernandes declarou que, “pessoalmente, gosta mais assim do que ter muitas pistas”, uma vez que também tem “mais piada”.

Dá que pensar!

Anthony Sá, um dos atletas da equipa trofense, contou que esteve “a fazer umas contas que ajudam a dar uma ideia, para quem não conhece a modalidade, do grau de exigência e profissionalismo do Slotcar a este nível de competição”. Nas redes sociais, o atleta apresentou um exemplo, para que as pessoas pudessem ficar com “uma pequena ideia do nível a que estas equipas competem”.
“O perímetro real da pista são 80 metros. A equipa que se classificou em 1.° lugar fez 4195 voltas, percorrendo 335,6 quilómetros. Distância aproximada entre Porto-Lisboa. Ou seja, se tivéssemos uma pista de slotcar ‘estendida’ entre Porto e Lisboa, estes pequenos carrinhos (à escala 1:32) efetivamente percorriam 335,6 quilómetros com uma particularidade – e aqui é que está a parte interessante – após a chegada do 1.° classificado, o 2.° chegaria cerca de 35 segundos depois e o 3.° cerca de 17 segundos depois deste. 35 e 17 segundos em mais ou menos 24 horas, dá que pensar. Em termos de distância seria assim: quando a corrida parasse o 2° classificado ficaria a 160 metros do 1° e logo atrás o 3° classificado a 80 metros deste… isto em 335,6 quilómetros”, exemplificou.