Totalmente recuperado da lesão, Reguila voltou aos convocados do Trofense e mereceu a confiança de Toni, que o colocou em campo no passado domingo frente ao Estoril. Não marcou, mas o importante "é continuar a trabalhar para a equipa" e agarrar "rapidamente a titularidade".

  "Podia ser mentira, mas não foi". O dia 1 de Abril de 2007 trouxe uma realidade muito amarga para Reguila, que o impediu de competir por sete meses. A lesão que o afastou dos relvados foi contraída no jogo com o Estoril, na Trofa, num jogo que os trofenses venceram por 1-0, com um golo do avançado trofense. O décimo primeiro tento e último no campeonato, quando tinha efectuado vinte jogos.

No entanto, uma lesão grave no joelho esquerdo obrigou à sua saída precoce, aos 78 minutos, tendo sido substituído por Everson.

O regresso à competição, curiosamente, também se consumou na partida com a equipa canarinha, mas que acabou com uma igualdade a um golo.

Em entrevista ao NT, Reguila revelou que foi com um sentimento de "grande alegria" que voltou a jogar.

Totalmente recuperado da lesão, Reguila voltou aos convocados do Trofense e mereceu a confiança de Toni, que o colocou em campo aos 80 minutos. Não marcou, mas o importante "é continuar a trabalhar para a equipa" e agarrar "rapidamente a titularidade".

Mesmo ausente dos relvados por mais de meio ano, o avançado não teme as escolhas do treinador e afirmou ter total disponibilidade para "continuar a dar o máximo" para conseguir ter um lugar no onze titular.

Relativamente à equipa desta época, Reguila afirmou que o plantel "tem muita qualidade", fruto de algumas medidas implementadas pela nova direcção para a construção de um projecto que visa a subida do clube da Trofa à Bwin Liga dentro de três anos.

Apesar de demonstrar "pouco entrosamento" no início da temporada, a qualidade de vários jogadores experientes da primeira liga já foi revelada, o que explica os resultados positivos que colocam o Trofense no quinto lugar do campeonato.

Mesmo que a fasquia da subida nunca seja refutada em pleno, esse objectivo nunca vai ser encarado obsessivamente: "estamos mais preocupados em jogar bem e não em atingir já a subida de divisão", concluiu.