Depois de um ano de interrupção no futebol, António Sousa aceitou o convite de José Leitão e vai treinar a equipa do Trofense por uma época. Estabilidade é a palavra de ordem para a época que se aproxima.

Um “grande desafio”. É assim que António Sousa encara a sua entrada no comando técnico do Trofense. O treinador assinou por uma temporada e orientou o primeiro treino com os jogadores que têm contrato e alguns que estão à experiência, na segunda-feira, 18 de julho.

António Sousa tem 54 anos e conta com uma longa carreira como jogador, abrilhantada pelas épocas no Futebol Clube do Porto, onde, fora os vários títulos nacionais, foi campeão europeu em 1987 (titular dos dragões na vitória por 2-1 ao Bayern de Munique, na Taça dos Campões Europeus), venceu a Supertaça Europeia no mesmo ano, frente ao Ajax (duas vitórias por 1-0), e ganhou na Taça Intercontinental um ano depois, na vitória por 2-1 (após prolongamento) frente ao Peñarol.

Sousa, natural de S. João da Madeira, passou ainda pelo Sporting, mas também fez grande parte da sua carreira como futebolista no Beira-Mar. Foi também no clube aveirense que cimentou o seu trajeto como treinador principal, tendo conseguido vencer uma Taça de Portugal na época de 1998/1999.

Depois de dois anos de interregno nas lides futebolísticas, o técnico aceitou o convite feito por José Leitão, presidente da comissão administrativa do clube, na sexta-feira, 15 de julho, e no mesmo dia viajou para a Trofa para acertar os pormenores. “Convenceu-me de uma forma fácil, mesmo sabendo do risco que venho correr, olhando à fase de mudança que se está a verificar neste clube, infelizmente, e porque estamos a começar um pouco tarde”, referiu em entrevista ao NT e TrofaTv.

Apesar de tudo, Sousa encara com naturalidade este desafio, salientando a “frontalidade e franqueza” de José Leitão na hora de lhe apresentar a proposta. O objetivo passa por garantir a tão necessária “estabilidade” depois da saída do mecenas Rui Silva. “Temos muito trabalho pela frente, com honestidade e seriedade, para dignificar o Trofense e a Trofa”, frisou.

António Sousa não esconde que, face ao impasse diretivo que assolou o clube no fim da temporada, o Trofense “parte em desvantagem” para a próxima época. Apesar de o plantel ainda não estar formado e de não saber com o que contar para o primeiro jogo oficial, a 31 de julho, frente ao Leixões, para a Taça da Liga, o treinador não esmorece na hora de traçar o caminho para o futuro: “Vamos ser uma equipa digna em todas as provas e o que peço ao grupo é coragem e que procurem usufruir do prazer de servir o melhor possível a camisola que envergamos”.

Da equipa técnica fazem também parte Zé Tó e Vítor, que transitam da temporada passada.

Ex-júnior portista é primeiro desejo concretizado

Preparar uma equipa competitiva, que consiga manter-se em posições confortáveis na tabela classificativa da Liga de Honra é um dos primeiros grandes desafios de António Sousa, que quer completá-la “o mais rápido possível”.

“Temos necessidade de sete ou oito jogadores quase para todos os sectores, já que a debandada foi muito grande e isso vai obrigar-nos a estar no mercado a procurar atletas com calibre mental e qualidade desejada”, explicou.

Porém, o técnico já garantiu a primeira pretensão: o médio direito, Edu, de 19 anos, foi campeão júnior pelo Futebol Clube do Porto na temporada passada e é um dos primeiros reforços do Trofense, chegando por empréstimo dos “dragões”. Por outro lado, William, de 32 anos, ex-Arouca, que esteve no clube entre 2000 e 2005, tinha acordo verbal com a comissão administrativa, ainda integrou o primeiro treino de António Sousa, mas acabou por aceitar uma proposta vinda do Chipre.

Reguila e Marco ainda são incertezas no plantel do Trofense. O central Varela rescindiu e assinou pelo Feirense, enquanto Luís Eduardo e Moreilândia receberam propostas para representar o Salgueiro (série B do Brasil) por empréstimo até maio de 2012.

 

{fcomment}