José Manuel Silva recebeu uma nova cadeira de rodas. A ajuda chegou da Comissão Social de Freguesia de Guidões, que, desta forma, concretizou um objectivo antigo.

Consegue imaginar uma realidade em que não pudesse deslocar-se ao café para estar com amigos, nem tão pouco ir à igreja ou visitar a campa de um ente querido no cemitério? Este era o dia-a-dia de José Manuel Silva, que ficou preso a uma cadeira de rodas há quase duas décadas. A 26 de Setembro de 1992, ao final da tarde, José Manuel estava no quintal de sua casa e depois de se baixar duas vezes não voltou a andar. De acordo com a filha, Linda Maia, “os médicos explicam que teria sido uma hérnia discal a estrangular a coluna”. Tinha 39 anos e a sua vida transformou-se drasticamente: grande parte do seu corpo paralisou. A inclinação acentuada da rua de sua casa e do lugar do Cerro, em Guidões, dificultava a locomoção na cadeira de rodas manual. E esta “era” a realidade, porque desde terça-feira que este guidoense de 58 anos vai poder “sair de casa” e “conviver com amigos”, uma vez que a Comissão Social de Freguesia (CSF) de Guidões lhe entregou uma cadeira eléctrica, que vai “mudar” a sua vida. Na terça-feira à noite, José Manuel Silva experimentou pela primeira vez a cadeira e percorreu o interior da sua casa com um brilho nos olhos que não deixou ninguém indiferente. Ao lado, a filha acompanhava o pai com o olhar e confessava a alguns elementos da Comissão que José Manuel “não falava de outra coisa” naquele dia.

As palavras de José Manuel não escondem a importância do momento que viveu na terça-feira: “Não tenho palavras. É um sonho antigo. Ainda bem que estes grandes amigos meteram pés ao caminho e alcançaram o objectivo que eu tanto desejava”. Agora José Manuel vai poder frequentar a igreja e visitar a campa da esposa: “Infelizmente a minha mulher já faleceu, mas pelo menos agora posso ir ao cemitério”.

A aquisição da cadeira era o “maior desejo” deste guidoense. “Se tivesse possibilidades há muito que tinha esta nova cadeira, mas…” confessou, incapaz de completar a frase.

José Manuel não esquece quem o ajudou e os responsáveis pela concretização do sonho: “Se não fossem estes amigos (CSF), os empresários de Guidões e várias pessoas de outras freguesias, isto não seria possível. A todas as pessoas que contribuiram e que estão a contribuir o meu muito obrigado”.

Manuel Araújo, que acompanha de perto o trabalho da CSF, não esconde que este foi “um dia especial”. Sem esquecer “outras necessidades que possam existir em Guidões”, garantiu que “este era o principal objectivo”, mas que a CSF “vai continuar a trabalhar”.

O responsável explicou que “esta cadeira já havia sido prometida há algum tempo” e que “ninguém ficou indiferente à necessidade” de José Manuel Silva. A cadeira já foi testada no local e está preparada para dar alguma “normalidade” à vida deste guidoense.

Para ajudar, basta caminhar

A nova cadeira de rodas custa 4.980 euros e “ainda não está toda paga, nem coisa que se pareça”. Foi dado um valor de entrada e o restante foi dividido em quatro prestações. Para angariar fundos, a CSF vai realizar uma caminhada no domingo, com concentração às 9 horas, junto à Igreja Paroquial de Guidões. “O objectivo em questão está aqui, está à vista de todos e é para ele que pretendemos trabalhar”, garantiu Manuel Araújo.

Os interessados em juntar-se a esta causa podem inscrever-se numa das Juntas de Freguesia do concelho, no comércio local de Guidões ou no próprio dia, no local da partida. A participação terá um custo mínimo de cinco euros, com a oferta de uma camisola. Para mais informações contacte um membro da Comissão através do número 915 990 293. Se quiser ajudar, mas não tiver oportunidade de participar na caminhada, pode contactar a CSF para o mesmo número para encontrar uma forma de dar o seu contributo.