Com 18 pontos distribuídos por quatro vitórias, seis empates e cinco derrotas, o Bougadense está a três pontos da zona de despromoção ocupada por Canidelo, Perafita, Vilanovense e Ermesinde e vê o líder do campeonato, Alpendorada, a 17 pontos de distância.

Arquivo  Ramalho e Miguelito são os primeiros reforços de Inverno do Bougadense, que vão tentar ajudar a equipa a fazer uma segunda volta tranquila para garantir a manutenção o mais rapidamente possível. O primeiro alinhava no "lanterna vermelha" Ermesinde, enquanto que Miguelito desce uma divisão, ao deixar o Famalicão pelo emblema de Santiago de Bougado.

Por outro lado o técnico Renato Pontes deixou de contar com os préstimos de Marino, Roberto e Ângelo, numa altura em que a equipa ocupa o décimo segundo lugar da tabela classificativa da Divisão de Honra da Associação de Futebol do Porto

Com 18 pontos distribuídos por quatro vitórias, seis empates e cinco derrotas, o Bougadense está a três pontos da zona de despromoção ocupada por Canidelo, Perafita, Vilanovense e Ermesinde e vê o líder do campeonato, Alpendorada, a 17 pontos de distância.

Com Renato Pontes como estreante a técnico principal depois de mais de 20 anos ao serviço do Clube Desportivo Trofense, um campo relvado completamente novo e uma equipa reformulada face à temporada de 2006/2007, o emblema de Santiago de Bougado começou a época com um nulo em casa frente ao Arcozelo e uma exibição convincente. A segunda jornada não foi boa, já que a equia averbou o primeiro desaire com o Candal e denunciou algumas dificuldades em jogar fora de portas, o que se repetiu por seis jornadas com três derrotas com Alpendorada (4-0), Canidelo (4-1) e Pedrouços (2-0) e três empates com Perosinho (2-2), Rio Tinto (2-2) e Ermesinde (1-1). O único triunfo extramuros foi na última jornada do ano em Valongo (1-2).

A primeira vitória do campeonato, em casa com o Senhora da Hora por 4-0, agradou treinador, dirigentes e adeptos, mas não foi repetida nas três rondas seguintes, cujas ficaram marcadas pelas goleadas em Alpendorada, em casa com o Coimbrões (3-0) e pelo empate com o Perosinho. A equipa voltou às vitórias sétima jornada com o Perafita (2-1), e depois de perder com o Canidelo, venceu o Avintes pelo mesmo score que o último jogo em casa.

Já depois de denunciar alguns problemas no seio da equipa, com a dispensa de Maio e Yano, o Bougadense atravessou cinco jornadas sem resultados positivos, fruto da crise directiva que culminou com a renúncia de José Olgário ao cargo de presidente, depois de um ano a dirigir os destinos do clube. O Bougadense só voltou às vitórias na décima quinta jornada, fora de portas, frente ao Valonguense.

A 19 jornadas do fim e com a aproximação das eleições para o novo presidente, o Bougadense tem todas as hipóteses para garantir a manutenção e cimentar um lugar importante na Divisão de Honra que tinha há bem poucas temporadas atrás.

No entanto adivinham-se partidas difíceis para o início do ano, com a equipa a defrontar, quase consecutivamente, Alpendorada, Coimbrões, Candal e Arcozelo, emblemas que ocupam os lugares cimeiros da tabela classificativa.