Dois simuladores de carros de corrida e uma máquina real em exposição chamaram a atenção dos estudantes da Escola Básica e Secundária de S. Romão do Coronado, que também ouviram os testemunhos de dois pilotos. Atividade, realizada na manhã de quarta-feira, visou promover Rali dos Patrocinadores.

De mãos firmes no volante Ferrari, Bruno Correia tentava acelerar sem se despistar nas curvas. O jovem estudante da Escola Básica e Secundária de S. Romão do Coronado não estava a conduzir um carro de verdade, mas sim um simulador que foi colocado na escola como forma de promoção do Rali dos Patrocinadores, que se realiza na freguesia do Coronado, a 2 de fevereiro.

Ao NT, sem tirar os olhos do ecrã, explicou que a experiência estava a ser “difícil”, por ser “muito real”. “O volante prende um bocado e também é difícil controlar os pedais, pois temos que estar sempre a carregar no acelerador e no travão”, contou.

Apesar de não acompanhar o automobilismo, Bruno deixou no ar a possibilidade de “começar a apreciar”, graças à iniciativa promovida pela Junta de Freguesia e do Gondomar Automóvel Sport, promotores do rali. O jovem assegurou que vai ver a prova, até porque passará à porta de casa. “Vou estar a torcer pelo melhor”, sublinhou.

No recinto da escola, um carro de competição chamava a atenção de miúdos e graúdos, mas eram os mais novos que se atreviam a entrar para ver a perspetiva do piloto ao volante. “Deu vontade de dar uma volta nele”, confessou Jorge Silva.

Na atividade também marcaram presença dois pilotos, Zé Pedro Fontes, padrinho do Rali dos Patrocinadores, e Gonçalo Gomes, que junto dos alunos deram o testemunho do que é viver no e do desporto automóvel. “Estas iniciativas são fantásticas não só para promover o automobilismo, mas também para mostrar a estes jovens que a modalidade não é andar depressa nas estradas, mas apenas e só dentro de circuitos fechados e com todas as normas de segurança”, afiançou Gonçalo Gomes.

Os testemunhos serviram para “mostrar aos jovens o caminho que têm de percorrer, e que às vezes não é fácil, para poder alcançar um sonho”. Para ajudar na concretização desse desígnio, os simuladores, constituem “uma ferramenta importante para que possam evoluir mais rápido”. “Há 20 anos não existia nada disso, hoje em dia não se consegue fazer nada sem se passar pelos simuladores. Sou um dos instrutores de uma academia de pilotos a nível mundial e houve um português, o Miguel Faísca, que ganhou a final mundial e que ganhou um prémio de mais de um milhão de euros e está inserido numa equipa de fábrica. Há seis meses era um simples estudante e hoje é um piloto profissional e anda pelo mundo a fazer corridas de automóvel”, testemunhou.

“Envolver a comunidade escolar” na promoção do Rali dos Patrocinadores e “sensibilizar os jovens para o desporto motorizado” foram os objetivos da Junta de Freguesia do Coronado para esta atividade. O presidente, José Ferreira, explicou que “a escola era o lugar de eleição para apresentar a prova e também para satisfazer a curiosidade da juventude”. “Quem sabe se não estará aqui um futuro piloto de âmbito nacional ou mundial e desta forma poderão esclarecer todas as dúvidas próprias da idade”, vaticinou.

O autarca assegurou ainda que “está tudo a postos” para a competição, que vai colocar o Coronado no mapa automobilístico nacional.