quant
Fique ligado

jonati

Lifestyle

Qual a importância de personalizar as embalagens e sacos de papel?

Um bom saco de papel personalizado tem o poder de promover a sua empresa junto dos seus clientes e amigos

Publicado

em

O marketing tem diversas facetas e vertentes.

À publicidade pura e dura que salpica as páginas de jornais, ecrãs de televisão ou cartazes na rua, juntam-se as estratégias digitais que passam pelo e-mail marketing ou pelos anúncios pagos nas redes sociais, (Facebook Ads, Instagram Ads, etc.).

Mas existem outras formas de chegar ao coração dos consumidores que, apesar de mais tradicionais, oferecem resultados tão bons ou melhores do que as mais recentes técnicas de Marketing Digital.

Esse é o caso das embalagens e sacos de papel que não só permitem acondicionar os produtos comprados, como levam até casa do consumidor a marca que os produziu fazendo, desta forma, perdurar a sua memória no tempo.

Nas feiras e congressos converteu-se em tendência oferecer sacos de papel personalizados com o logotipo da marca ou com uma mensagem publicitária, como parte do pack de merchandising.

Os sacos de papel para publicidade são resistentes, fabricados com material totalmente reciclado e têm um aspeto muito elegante, perfeitos para oferecer em ações promocionais ou eventos publicitários, com o logotipo da empresa.

Motivos para a sua marca apostar em embalagens e sacos de papel personalizados

A aposta na diferenciação para aumentar a visibilidade da marca neste tipo de eventos é uma das grandes virtudes deste tipo de merchandising baseado em embalagens e sacos de papel personalizados, mas há mais. Venha conhecê-las.

Publicidade

Diferenciação

Mais do que proteger e valorizar o seu produto, as embalagens e sacos de papel também têm o condão de agregar valor e contribuir para a diferenciação da sua marca num mercado onde milhares de produtos idênticos disputam a atenção dos clientes.

Para que isso se torne uma realidade, a sua embalagem deve destacar-se dos concorrentes.

Um bom saco de papel personalizado tem o poder de promover a sua empresa junto dos seus clientes e amigos, mas também, a um nível subconsciente, com quem se cruza na rua ajudando a que o nome e branding da sua marca chegue a um maior número de pessoas.

Afinal de contas, quem nunca olhou uma segunda vez para alguém ao seu lado nos transportes públicos ou na rua para tentar descortinar o nome daquela marca que está estampada no saco que transporta?

Ajudam a preservar o produto

O papel possui propriedades que ajudam a preservar o calor e o aroma. Por isso, o saco de papel personalizado é uma das embalagens preferidas das hamburguerias, padarias, pastelarias e outras empresas do ramo alimentar.

Para além de ajudarem a preservar as características dos alimentos, este tipo de embalagens e sacos economizam espaço no transporte e mantêm o alimento seguro e na temperatura ideal para que o cliente desfrute da melhor experiência de consumo.

Contudo, não são apenas as empresas do ramo alimentar a utilizarem as embalagens e sacos de papel personalizados.

Publicidade

Em empresas como farmácias ou retrosarias este tipo de embalagem muito utilizado para acondicionar os produtos de modo a evitar a perdas ou danos.

São uma opção sustentável

A preservação do meio-ambiente passa, entre muitas outras ações, pela diminuição da utilização do plástico e adoção de soluções de embalamento ou transporte em papel.

Prova disso são a substituição, em muitas cadeias de hipermercados, dos seus sacos de plástico por sacos de papel personalizados.

Além de evitar o uso do plástico e proteger o meio ambiente, este tipo de ação irá mostrar aos seus clientes a sua preocupação com um mundo mais sustentável.

Influencia o comportamento do consumidor na altura da compra

A cor das embalagens e sacos de papel personalizados têm um forte impacto na decisão de compra dos consumidores.

Por exemplo, os especialistas consideram que o branco transmite simplicidade, segurança e pureza e que quanto mais cores forem adicionadas à embalagem, menos sofisticado será considerado o produto por parte do cliente.

Isto acontece porque o cérebro humano reage às cores de diferentes maneiras e estas desempenham um papel fundamental na decisão de comprar ou não um produto.

Publicidade

Reforçam a relação com o cliente

Tal e qual um pintor que utiliza o quadro como meio de passar a sua mensagem, as embalagens e sacos personalizados são o “quadro” onde as marcas imprimem o seu quadro de valores.

A forma como elas apresentam o seu design nas embalagens irá ajudar a definir as memórias e sentimentos que os clientes terão delas.

Servem de poderoso megafone à identidade da marca e fomenta a lealdade dos clientes

Todas as plataformas são válidas para projetar a identidade da marca, isto é, para comunicar a mensagem geral da empresa e promover os seus objetivos.

As embalagens e sacos de papel personalizados onde se verifique a presença constante da imagem da marca contribuirá para que os clientes associem os valores da empresa aos produtos que utilizam.

De igual modo, embalagens e sacos de papel personalizados garantem uma identidade de marca bem definida que pode ajudar a fidelizar clientes.

Continuar a ler...

Edição 782

Linha do Equilíbrio: Ser mulher, hoje!

Necessitamos de ensinar às nossas crianças o respeito pelo outro; que não existem brinquedos de meninas ou de meninos; que nem sempre é o príncipe que salva a princesa, pode ser a princesa a salvar-se a si própria

Publicado

em

Contam-se histórias infantis com expressões como “Espelho, espelho meu, existe alguém mais belo do que eu?” ou “Quem quer casar com a carochinha que é tão bela e formosinha” e, sem refletirmos, replicamos para os nossos filhos, fazendo tradição oral.

Se na primeira expressão a imagem refletida no espelho conduz à obsessão de busca pela beleza, na segunda invoca o conceito de mulher como dona de casa, esposa e mãe. Em ambos os casos, temos a Mulher (o “ser Mulher”) no centro da equação, com padrões estereotipados para a sua identidade.

A atualidade tem sido marcada por um “quebrar” de preconceitos e tabus que estão acomodados na sociedade há centenas ou, até mesmo, milhares de anos!

Particularmente, na sociedade ocidental a Mulher passou a ocupar um lugar de destaque igual aos homens, participando em várias áreas e assumindo o papel de decisoras. São exemplos a integração quase plena em todas as áreas do mercado de trabalho ou em cargos políticos. Tal exposição passou a exigir mais da Mulher, pois acrescentou à sua tradicional função de maternidade e de presença na retaguarda da família a de ativa e determinante na sociedade, com as multitarefas que se propõe desempenhar. Esta maior amplitude de ação, em mulheres especialmente superativas, poderá conduzi-las a problemas de autoestima e, em casos mais avançados, enfrentarem o já tão divulgado burnout.

Nesta avalanche cultural tem-se igualmente imposto mais à Mulher! A ideia de busca por um corpo perfeito (mesmo sendo natural uma maior obesidade pelas fases hormonais) que leva à perceção que apenas podem ser felizes com as “curvas perfeitas”. Este conceito de beleza está em permanente mutação, pelas “leis” das indústrias da beleza e da moda, com tendências de produtos ou roupa, onde se vendem padrões dificilmente tangíveis. Por outro lado, as autoimposições alimentares, com muitas distorções de comportamentos (obsessivos e compulsivos), de que é exemplo o pesar dos alimentos que, em muitos casos, são passos em direção a doenças como a bulimia ou a anorexia.

Quer a escravidão do espelho/da imagem, quer a “obrigação” de permanente atividade, tendem a condicionar algumas Mulheres a perder o prazer de viver, entrando em desânimo, em consequência da insatisfação com a sua imagem, com a sua forma física, aprisionando-se em dietas restritivas que poderão conduzir a uma autorrejeição, ao isolamento ou a perturbações psicológicas.

O que podemos nós fazer para proteger quem amamos deste sofrimento?

Necessitamos de ensinar às nossas crianças o respeito pelo outro; que não existem brinquedos de meninas ou de meninos; que nem sempre é o príncipe que salva a princesa, pode ser a princesa a salvar-se a si própria; que a “carochinha” pode com o seu dinheiro querer fazer outras coisas que lhe proporcionem prazer; que a beleza não está apenas refletida no espelho, mas nas ações e, principalmente, a aceitarem-se como realmente são.

Publicidade

Desde cedo, devemos incutir nos nossos filhos o culto de “ser versus parecer”, ou seja, valorizarem as suas atitudes, valores e competências em detrimento da imagem que a indústria da beleza tende a preconizar como a ideal. No mesmo seguimento, devemos ensinar e demonstrar com atos e atitudes que ser Mulher significa esta ser e escolher o que quiser, sem restrições nem obrigações.

Torna-se fundamental educar as crianças de uma forma livre, longe dos padrões estereotipados e mais próximas da sua verdadeira natureza.

sandramaia.psicologa@linhadoequilibrio.pt

Foto

Continuar a ler...

Lifestyle

Jogadores Portugueses continuam a apostar em sites ilegais

Em 2022, os jogadores portugueses continuaram a apostar e jogar em plataformas ilegais em Portugal. De acordo com dados do SRIJ relativos ao 3º trimestre do ano transacto, esta entidade enviou notificações de encerramento a 60 operadores ilegais e foram identificados 63 sites para bloqueio de ISPs.

Publicado

em

Em 2022, os jogadores portugueses continuaram a apostar e jogar em plataformas ilegais em Portugal. De acordo com dados do SRIJ relativos ao 3º trimestre do ano transacto, esta entidade enviou notificações de encerramento a 60 operadores ilegais e foram identificados 63 sites para bloqueio de ISPs. 

Desde a entrada em vigor do Regulamento do Jogo Online, em 2015, 1 295 sites foram notificados para bloqueio e foram mesmo feitas 20 participações ao Ministério Público para a instauração de processos-crime.

Este fenómeno parece tardar em abrandar e não são só as plataformas ilegais a serem visadas. Em Outubro de 2022, a GNR da Trofa constituiu arguido um homem de 30 anos por exploração de jogo ilegal, na sequência da fiscalização de um estabelecimento de restauração e bebidas.

A promessa de prémios maiores, o desconhecimento das diferenças entre um site de apostas legal e outro sem autorização, ou a publicidade a casas sem licença para actuar em solo nacional podem ajudar a justificar a proliferação do jogo ilegal.

No entanto, há consequências negativas, tanto para o estado como para o utilizador. O grande número de casas de jogo ilegais exige mais recursos da entidade de regulação e inspecção do jogo, mas pior ainda, implica uma perda significativa de receita para os cofres do estado. O impacto vai sendo maior à medida que o número total de jogadores aumenta, o que tem acontecido todos os anos desde que o mercado passou a ser regulado.

Para os utilizadores, há também muito a perder ao apostar ou jogar em plataformas que operam à margem da lei. Por um lado, caso exista algum problema com o levantamento de ganhos, o SRIJ nada poderá fazer, visto que estas casas estão fora da sua alçada. 

Mas este nem é tão pouco o maior problema. As casas ilegais não têm qualquer tipo de obrigação perante o regulador nacional, e como tal não é habitual terem mecanismos de protecção aos jogadores que são indispensáveis para que todos participem de forma segura nos jogos e apostas online. Alguns destes mecanismos são:

Publicidade
  • Protecção de menores 
  • Prevenção e combate a fenómenos de vício do jogo
  • Combate à fraude e branqueamento de capitais

Resumindo, não existem as mesmas políticas de confirmação de dados que ajudam a barrar o acesso a menores. Tambem não é garantido que exista uma página em que todos os termos e condições estejam discriminados, para além de ser raro encontrar a opção de limitar os valores das apostas ou mesmo de um jogador se auto-excluir. 

Como distinguir entre um site de apostas legal e um sem autorização?

Felizmente, há várias formas de encontrar casas de apostas legais em Portugal e de distinguir entre aquelas que se guiam pelas leis portuguesas e aqueles que não o fazem.

O mais seguro, claro, é consultar a lista de entidades com licença do SRIJ para actuar no país. Se uma entidade não estiver lá, é porque não tem autorização desta entidade para actuar em Portugal. 

De qualquer forma, há vários elementos que ajudam a identificar um site que se rege pelo Regulamento do Jogo Online. Um deles é a existência de um ícone do SRIJ no fundo da página inicial do site, com link para esta entidade. No caso de um site ilegal, das duas uma: ou nem é possível aceder porque já foi bloqueado, ou existe informação em relação a uma possível licença, mas emitida no exterior. Continua a ser uma casa sem estatuto legal em Portugal. 

No caso das casas de apostas desportivas legais, como já foi referido, deve existir um link para uma página que discrimine todos os termos e condições do jogo na plataforma. Também deve existir um página relativa à política de jogo responsável, assim como o acesso a ferramentas de limitação de jogo na conta do jogador. 

Fora dos próprios sites, há outros elementos que é interessante considerar. Por exemplo, os patrocínios: a Bwin é patrocinadora da Liga Portugal, enquanto que a Betano patrocina Sporting, Benfica e Porto. Estes patrocínios não seriam possíveis caso as casas em questão não fossem totalmente  legais. 

Ainda assim, há uma última ressalva a fazer: casas como a Bet365 têm grande reputação internacional, mas nem por isso é possível jogar legalmente nelas em Portugal, visto que não fazem parte da lista do SRIJ.

Publicidade

Resumindo: é importante saber quais as diferenças entre o jogo legal e ilegal, uma vez que a escolha de uma casa não regulada em Portugal tem várias consequências, quer para cada jogador, quer para a sociedade ou para o estado. As promessas de maior variedade de jogos e melhores prémios acabam por não se materializar, uma vez que há casas legais de grande qualidade em Portugal, como a Betano, ESC Online ou Bwin. 

Para além disso, mesmo que as propostas das casas ilegais fossem melhores, nunca valeria a pena arriscar perder prémios, pagar impostos elevados sobre eles ou ficar refém do jogo, sem qualquer tipo de protecção.

Continuar a ler...

Edição Papel

Comer sem sair de casa?

Facebook

Farmácia de serviço

 

arquivo

Neste dia foi notícia...

Ver mais...

Pode ler também...

} a || (a = document.getElementsByTagName("head")[0] || document.getElementsByTagName("body")[0]); a.parentNode.insertBefore(c, a); })(document, window);