Entrevista a Luís Filipe Moreira, presidente do Rotaract Club da Trofa

A presidir o Rotaract Club da Trofa desde Junho de 2008, Luís Filipe Moreira dá a conhecer, em entrevista exclusiva ao NT, o âmbito de trabalho da instituição trofense, fundada em Maio de 2007. Sobre o seu período à frente do Rotaract da Trofa, o presidente faz um balanço “significativamente positivo” das actividades desenvolvidas no seio da comunidade trofense e revela ainda as metas do clube para o futuro próximo.

Luis Filipe Moreira Fundado a 14 de Maio de 2007, patrocinado pelo Rotary Club da Trofa, o Rotaract clube da Trofa visa, enquanto objectivo principal, propiciar oportunidades aos jovens de conhecerem, reflectirem e agirem nas necessidades e problemas da comunidade trofense. Depois de um primeiro ano de actividade, Luís Filipe Moreira assumiu a nova presidência do clube a 30 de Junho de 2008. Natural de Santiago de Bougado, é professor e especialista na área da Comunicação e Educação. Com 29 anos, é ainda militar da Força Aérea Portuguesa e preside o Rotaract em 2008/2009.

“Reafirmei o compromisso de contribuir para que o Rotaract Club da Trofa se constituísse como um meio capaz de canalizar as energias dos jovens para actividades que podem e devem beneficiar as suas comunidades”, afirmou Luís Filipe Moreira. “É minha convicção que o futuro não pertence àqueles que se contentam com o dia de hoje, apáticos com os problemas que enfrentam, tímidos ou reticentes em abraçar novas ideias e projectos, mas acredito sim que o mundo pertence àqueles que, com paixão e coragem, se empenham aos grandes desígnios e ideais de uma sociedade”, contou ao NT. Neste sentido, “surge o Rotaract da Trofa composto por jovens trofenses que querem marcar a diferença e contribuir activamente para o futuro trofense e oferecer aos jovens oportunidades de agirem directamente sobre os problemas da sua comunidade”.

Sob o lema de 2008/2009 “Realizamos os Sonhos”, o Rotaract centra a sua acção na comunidade, através de actividades que se incidem em três áreas base: educação, saúde e alimentação. “O balanço das actividades que efectuámos até ao momento é significativamente positivo. Em mais de meio ano em que já presido o Rotaract da Trofa, foi-nos possível realizar várias actividades com impacto na comunidade trofense, por exemplo, com o auxílio a instituições que se debatem diariamente com os problemas que todos conhecemos e que afectam todos, sobretudo as crianças, nomeadamente a ASAS e a APPACDM locais, bem como a Liga Portuguesa contra o Cancro”, explicou o presidente.

No período de presidência de Luís Filipe Moreira, o clube realizou várias actividades de diferente natureza, que abrangeram diferentes públicos-alvo. “A participação na Trof@posta jovem 2008 foi uma iniciativa em que tivemos um expositor com exibição do trabalho realizado desde 2007, com actividades variadas para o público jovem – ateliers de pintura, entre outros”. “Com a criação do sítio da Internet do nosso club, em www.rotaracttrofa.wordpress.com, estreitamos as ligações com a nossa comunidade”, explicou ainda. Na participação no Peditório da Liga Portuguesa contra o Cancro, realizada em Novembro, o Rotaract percorreu o concelho da Trofa, “recolhendo o contributo de todos de modo a propiciar melhores condições no auxílio e apoio a quem sofre desta doença”. A celebração do S. Martinho na ASAS da Trofa contou com a participação de aproximadamente 60 pessoas, incluindo crianças, “num ambiente de convívio e divertimento, com karaoke, castanha, música ao vivo de coros locais, entre outras”.

A entrega de cheque-prenda à APPACDM da Trofa, a entrega de alimentos à ASAS da Trofa e à APPACDM, a realização de um workshop de Educação Ambiental na ASAS, incidido na reciclagem de papel e separação de lixo, com a realização de jogos didácticos, foram outras das actividades salientadas por Luís Filipe Moreira.

Ainda a visita à Base Aérea de Ovar e Museu do Ar, por um grupo de 40 crianças carenciadas, a campanha de recolha de brinquedos “Um Sonho…Um Sorriso” com entrega à ASAS, a actividade “Educação Solidária”, que se verifica ao longo de todo o ano, em que uma vez por semana, aos sábados, se aposta no apoio e complemento educativo a um grupo de 10 crianças da ASAS e a realização da Festa de Natal do clube, com alargamento do quadro social (entrada de três novos elementos), integraram o programa de actividades já concretizado. “O Rotaract da Trofa implementou, em sete meses, uma variedade de projectos e actividades, com especial peso para o serviço à comunidade, através de actividades de solidariedade e o desenvolvimento do companheirismo entre os seus membros, sendo estas duas vertentes inseparáveis”, sublinhou o presidente.

Questionado sobre o reconhecimento do trabalho do Rotaract pela população, Luís Filipe Moreira diz que o reconhecimento mais importante é o daqueles que são ajudados pelo clube. “A minha principal preocupação enquanto presidente do Rotaract Club da Trofa não reside no grau de reconhecimento pelas pessoas relativamente ao trabalho que fazemos, mas posso sim afirmar que o reconhecimento que valorizamos reside naqueles que ajudamos, naqueles que beneficiam directa e indirectamente da nossa acção na comunidade, pois esses mesmos são os que nos motivam, os que nos guiam, os que nos dão força, enfim são aqueles que movem a nossa acção como clube e como instituição trofense”, frisou. “Contudo, pelos diferentes canais de divulgação que o Rotaract possui, por exemplo os jornais trofenses, o seu sítio na Internet, pretendemos a divulgação do nosso trabalho e da nossa acção na comunidade local, não pelo reconhecimento em si, mas sim para que se estreitem as ligações”, acrescentou.

 

“2008/2009 é um ano de consolidação”

 

Composto por jovens dos 18 aos 30 anos, o projecto do Rotaract da Trofa envolve 10 elementos activos e três membros honorários, de diferentes sectores, contudo complementares entre si. “Somos jovens, homens e mulheres, que exercem a sua actividade em sectores tão variados que vão desde a Banca, da Engenharia à Economia, da Educação à Medicina, da Arquitectura ao Ensino Superior, da Biologia à Informática, da Administração ao Serviço Público”, explicou Luís Filipe Moreira. Para o responsável, “fazer parte de uma instituição como o Rotaract club da Trofa é uma das formas de participação activa da sociedade, pois possibilita a dinamização e o empreendedorismo, por um grupo de jovens com os mesmos objectivos, contribuindo, desta forma, para a melhoria da comunidade em áreas tão distintas como a educação, a saúde e o apoio social, o ambiente e o lazer, em suma, na promoção do principal património e recurso trofense – as pessoas”. Neste sentido, o presidente aproveitou a entrevista ao NT para lançar o convite: “Convido aqui os leitores do NT em geral, os jovens em particular, que nos visitem, ou pela Internet ou pessoalmente, estamos abertos e receptivos às vossas opiniões, às vossas dúvidas e anseios, contactem-nos!”.

 

Lembrando o historial do Rotaract no período anterior, Luís Filipe Moreira explicou que “o ano de 2007/08 foi um ano de conhecimento do clube, dos seus membros constituintes, um ano de primeira abordagem do concelho trofense e da sua realidade”. Neste período as actividades do clube passaram pela participação na Trof@posta jovem 2007, em acções de rastreio em cooperação com o Rotary da Trofa, o Projecto de Intercâmbio com o Rotaract de Capitol City, nos Estados Unidos, a angariação de fundos para a Liga Portuguesa contra o Cancro, o Magusto na ASAS, assim como a recolha de livros para Cabo Verde e brinquedos para a ASAS, a participação na iniciativa distrital de envio de mochilas didácticas para S. Tomé e a actividade “Educação Solidária”.

“Já 2008/09 é um ano de consolidação, mais abrangente nas actividades desenvolvidas, com aposta forte em ferramentas como a Internet e a comunicação social trofense, um ano de mais maturidade, um ano de afirmação, crescimento e desenvolvimento”, considerou o presidente.

Até Junho de 2009, duração da presidência de Luís Filipe Moreira, as metas do Rotaract incidem na realização de actividades cujos vectores são a educação, a saúde e a alimentação. Na área da educação, o clube irá apostar na continuação do projecto “Educação Solidária”, melhorando-o e dinamizando-o. No âmbito da alimentação, serão realizados workshops didácticos em algumas áreas específicas. Neste sentido, “no próximo sábado teremos um relativo à alimentação e hábitos alimentares saudáveis, destinados a pais e crianças trofenses”, adiantou Luís Filipe Moreira.

Relativamente à saúde, o presidente possui como objectivo “a realização de rastreios variados, entre eles ao cancro do estômago, e também uma iniciativa relativa ao Suporte Básico de Vida – administração de primeiros socorros, iniciativas que podem salvar vidas trofenses”. “Acolheremos em Março o Encontro Rotaract, que reunirá na Trofa, e num dia, todos os clubes Rotaract do Norte do país”, revelou ainda o presidente. A cooperação com o Léo Club da Trofa, nomeadamente na realização de um Peddy-paper a Guimarães, a comunicação com a população trofense, por exemplo no melhoramento e actualização constantes do www.rotaracttrofa.wordpress.com, e o aumento do quadro social do Rotaract Club da Trofa são outras das metas previstas pelo clube para os próximos cinco meses.

Luís Filipe Moreira aproveitou ainda para “realçar o contributo importante do NT na divulgação precisa e prática, rigorosa e coerente, do trabalho realizado pelas instituições trofenses em geral, o Rotaract Club da Trofa em particular”.

O Rotaract Club da Trofa é um dos 58 clubes Rotaract do país e integra um universo com mais de oito mil clubes em 155 países. Realiza um meeting quinzenal aos domingos, pelas 21 horas no Café Paraíso, no Edifício Nova Trofa.