Centenas de escuteiros reuniram-se na Trofa, para presenciar a passagem da "Chama do Centenário" de Braga para o Porto. A cerimónia, que marca os cem anos da existência do movimento escutista, decorreu na passada sexta-feira, na ponte de Ribeirão e no Parque Nossa Senhora das Dores.

  Já passou pela Etiópia, Sudão, Egipto, Grécia, Itália, Bélgica, Reino Unido e França, e chegou a Portugal na semana passada, tendo como primeira etapa a cidade berço do escutismo português, Brga.

O símbolo que marca os cem anos da fundação do Escutismo mundial, por intermédio de Robert Baden-Powell, entrou em Portugal na cidade de Braga e passou pela Trofa, numa cerimónia que marcava a passagem da chama para o distrito do Porto.

A , tendo-se formado um grande corredor humano até à Capela Nossa Senhora das Dores, onde centenas de escutas, provenientes dos Agrupamentos do Núcleo de Santo Tirso e outros do distrito do porto, esperavam pela chegada da chama.

A chama foi acesa no Quénia, junto do túmulo de Baden-Powell no dia do seu nascimento, 22 de Fevereiro, e percorreu alguns pontos do globo, colocando assim em sintonia mais de 28 milhões de escuteiros, em 216 países e territórios.

Na Trofa, este acontecimento marca uma nova era no movimento escutista e por isso foi carregado de grande simbolismo e seriedade.

Em discurso de recepção da chama, Domingos Sousa, Chefe do Núcleo Norte do Corpo Nacional de Escutas, aproveitou para relembrar a importância deste movimento no desenvolvimento da sociedade no mundo: "neste momento tão especial não se pretende apenas um olhar para o passado, mas também um compromisso para o futuro, promovendo-se uma aposta forte no desenvolvimento do movimento, procurando noutros aspectos melhorar a qualidade do método e respectivos programas, levando o escutismo a mais países e povos. Para isso é extremamente importante o papel activo e empenhado do dirigente e educador ao proporcionar um melhor conhecimento do escutismo à sociedade em geral, procurando cativar mais jovens e afirmando as estruturas locais e agrupamentos como parceiros privilegiados junto das instituições locais". O responsável sublinhou ainda que "o caminho a seguir deverá ser alicerçado na vivência do lema 'sempre alerta para servir', dando testemunho dos valores escutistas sempre presentes na vivência concreta no dia-a-dia, na promessa e lei do escutista".

 Parabenizando o escutista mais velho do país, Carlos Campos, que também marcou presença na cerimónia, Bernardino Vasconcelos, frisou que a Trofa "pôde viver um dia histórico". O edil aproveitou para referir que "o movimento de escutismo mundial tem uma génese extraordinária" e "não só um movimento de serviço, é uma militância para a vida". Uma escola de valores humanitários, éticos, de responsabilidade e de convívio com a natureza, e "que contribui para a construção da identidade de uma comunidade".

Depois das intervenções seguiu-se a cerimónia de acender a chama na torre, na Avenida da Capela. Posteriormente a chama seguiu para o Porto, para a Praça Humberto Delgado, nos Aliados, onde foram acesos 100 archotes, seguindo-se o cortejo com destino ao terreiro da Sé do Porto.

Idanha-a-Nova é a última paragem do símbolo em Portugal, local onde se realiza o XXI Acampamento Nacional (Acanac) do CNE, em comunhão com o acampamento mundial (Jamboree) na ilha de Brownsea, última etapa desta iniciativa, escolhida por ter sido onde se realizou o primeiro acampamento de escuteiros, há cem anos. Esta actividade marca o início de um novo século de escutismo no mundo e foi o momento para que a ISGF – International Scout and Guide Fellowship (Fraternidade Mundial de Escuteiros e Guias – organização para adultos), introduzisse um símbolo permanente que representa a essência do movimento.

Quem foi Robert Baden-Powell?

Robert Stephenson Smyth Baden-Powell, nasceu em Londres, Inglaterra, a 22 de Fevereiro de 1857 e morreu no Quénia, a 8 de Janeiro de 1941. Honra, integridade, lealdade, presteza, amizade, cortesia, respeito e protecção da natureza, foram alguns dos valores defendidos por ele, principal impulsionador para a fundação do movimento escutista. Na Ilha de Brownsea, no Canal da Mancha, Inglaterra, Baden-Powell realizou um acampamento com vinte jovens, de 12 a 16 anos de idade, no qual ensinou técnicas como primeiro socorros, observação, segurança e orientação. Como símbolo do grupo, levavam aqueles jovens uma bandeira verde com uma flor-de-lis amarela no centro.

A última presença pública de Baden-Powell para os escuteiros foi em 1937, no Quinto Jamboree Mundial em Vogelezang, Holanda, tendo posteriormente fixado residência no Quênia, em 1938 juntamente com Lady Olave, onde acabou por falecer.