Joaquim OliveiraO dia 19 de Novembro foi vivido com “muita alegria”, pois era “o concretizar de um sonho” para o autarca de Alvarelhos, Joaquim Oliveira. Agora tem outros “sonhos” para a freguesia e o mais importante é a conclusão da construção da sede da Junta de freguesia.

“Nunca nos conseguimos integrar no concelho de Santo Tirso e eles nunca nos trataram como parte integrante do município”. É este o sentimento de Joaquim Oliveira, presidente da Junta de Freguesia de Alvarelhos. Este era também o sentimento de muitos trofenses: “toda esta população ansiava pela sua emancipação”.

Porque “as pessoas de Santo Tirso nunca viram com bons olhos as pessoas da Trofa”. Esta rivalidade reflectia-se nos investimentos: “sentíamos que a nossa participação na receita do concelho era muito representativa e as contrapartidas que tínhamos eram zero ou quase zero e naturalmente sentíamos que produzíamos receita para termos outro tipo de obras, outro tipo de

relacionamento”.

O dia 19 de Novembro foi vivido com “muita alegria”, era “o concretizar de um sonho”, no entanto para o autarca foi um dia “arriscado”: “Assumimos a responsabilidade de levar 10 mil pessoas a Lisboa, mas não sabíamos se iria ser aprovada a criação do concelho na Assembleia da República, sabíamos que se houvesse uma resposta negativa seria muito complicado segurar 10 mil pessoas”.

Mas como reza a história, a resposta foi mesmo positiva e a emoção “foi muita”. Depois da independência “a transformação foi brutal” e “superou todas as nossas expectativas”, afirmou Joaquim Oliveira.

“Os equipamentos escolares eram dos piores que podia haver, mas deram uma volta completa. A nível de apoio social praticamente não existia nada, agora temos uma rede social instalada que está em franco crescimento. Em 1998 mais de 50 por cento das ruas da freguesia tinham lama, hoje praticamente não existe nenhuma. Está em fase de conclusão a rede de abastecimento de água e saneamento”, comentou.

A Extensão de Saúde, os equipamentos desportivos, a sede da Junta de Freguesia, em fase de conclusão, são outras infra-estruturas “impensáveis” há dez anos atrás para Alvarelhos.

Mas Joaquim Oliveira tem outros “sonhos” para a freguesia. À medida que as obras se vão concretizando, outras prioridades vão surgindo: “a mais importante neste momento, é concluir a Sede da Junta de Freguesia, dentro de dois, três meses. A outra grande obra, que se vai iniciar no início de 2009, é aquela que vai representar o Apoio Social da Freguesia, do Centro Comunitário de Alvarelhos em parceria com a Mundos de Vida composto por Lar, Centro de Dia, Creche, Infantário e Apoio Domiciliário”

Quando questionado se vai continuar à frente nos destinos da freguesia, Joaquim Oliveira deixa a decisão nas mãos de Deus: “a única certeza que tenho é que tenho mandato até Outubro do próximo ano, esse mandato queria cumpri-lo para honrar essa responsabilidade que assumi para com o povo de Alvarelhos e em termos de futuro, só Deus o dirá”.