A escritora Manuela Monteiro, popularmente conhecida por avó Manela, lançou o seu novo livro, “A Casa da Romãzeira”, no 35.º aniversário da revolução dos cravos, que se celebrou no passado sábado. A sessão decorreu na Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco, em Vila Nova de Famalicão, e contou com as presenças do vice-presidente da Câmara Municipal, Leonel Rocha, da escritora e do ilustrador Emídio Pinto, e do director do Departamento de Cultura da Câmara Municipal, Artur Sá da Costa que fez a apresentação da autora e do livro.
Leonel Rocha começou por enaltecer o trabalho de Manuela Monteiro no incentivo à leitura e à escrita dos alunos das escolas. Por seu lado, Artur Sá da Costa lembrou que as histórias da Avó Manela circularam de mão em mão entre os alunos e professores das escolas do concelho antes de serem livro. Hoje são “um património literário da comunidade, inconfundível e inigualável, bordados por uma prosa poética colorida e rigorosa, servidos por uma prodigiosa imagética criativa, sustentados por uma sensibilidade doce e humanizada”.
Para Sá da Costa, a Casa da Romãzeira não é mais um livro da Avó Manela. É a história da Revolução de Abril, daqueles que nunca renunciaram, e que lutaram para que a palavra Liberdade, não morresse.
 Manuela Monteiro põe uma Joaninha-que-voa a contar a história do 25 de Abril á Joaninha-menina, quando ela faz 15 anos. O que pretende a escritora é que todos os jovens, como a Joaninha conheçam a Revolução dos Cravos.
No final da sessão foram lidos poemas de Sophia Melo Andersen, Manuel Alegre e outros poetas.