Para o Partido Socialista da Trofa, a instalação de uma central fotovoltaica na encosta de S. Gens vai “destruir o pulmão da Trofa”.

Em comunicado, a comissão política concelhia do PS argumenta que a colocação de milhares de painéis solares vão “arrasar 66 hectares de mancha florestal, pondo em causa, durante décadas, a qualidade ambiental do Município e até da região”.

“Sem estudo de impacto ambiental conhecido, a Câmara Municipal esconde dos Trofenses este projeto que, desde o seu início, deveria estar a ser discutido com os habitantes da Trofa, num amplo debate público”, referem os socialistas, que comparam a forma como o executivo municipal está a tratar deste processo com o do aterro sanitário que estava previsto para Covelas.

“O presidente da Câmara Municipal da Trofa insiste na ocultação de projetos megalómanos com um tremendo impacto ambiental e paisagístico e na qualidade de vida das populações”.

No mesmo comunicado, o PS reclama um “esclarecimento imediato da Câmara Municipal sobre este projeto, nomeadamente sobre o estudo de impacto ambiental, caso este exista”, assim como “uma tomada de posição da Agência Portuguesa do Ambiente” e “um esclarecimento sobre eventuais conflitos de interesses de elementos do PSD Trofa associados à gestão autárquica, uma vez que é pelo menos evidente um claro conflito de interesses do presidente de Junta da União de Freguesias de Alvarelhos e Guidões, potencial arrendatário do seu terreno, segundo declarações do próprio”.