Para o porta-voz da comissão política concelhia do PAN, Fernando Geração, o projeto de instalação de uma central fotovoltaica na encosta do Monte de S. Gens mostra que o executivo da Câmara Municipal “ao que tudo indica, continua mais preocupado com a vertente financeira, em detrimento da componente ambiental e ecológica.”

Apesar de defender “instalações que promovam a transição energética para energias limpas e renováveis”, o partido considera que, acima disso, está a garantia de que “o impacto ambiental na área visada não comprometa o equilíbrio dos ecossistemas e a preservação dos mesmos”.

“É público que a Câmara Municipal da Trofa deu um parecer positivo ao pedido de viabilidade do projeto, mas aparentemente não o condicionou a uma prévia avaliação dos prejuízos ambientais que uma instalação desta envergadura pode acarretar”, refere a estrutura concelhia do PAN, em comunicado, reclamando a análise dos “prejuízos ambientais e sociais” desta infraestrutura.

A forma como a autarquia conduziu o processo também mereceu desaprovação do PAN, que considera que “o défice democrático que se vive no nosso concelho fica, uma vez mais, demonstrado” pelo “facto de os presidentes das juntas de freguesia de Bougado e Alvarelhos e Guidões não terem sido auscultados previamente à emissão do parecer municipal, por forma a que fosse possível conhecer também as preocupações da população”.