O Clube Desportivo Trofense garantiu permanência no próximo Campeonato de Portugal, depois de a Federação Portuguesa de Futebol decidir dar por concluída a competição esta época, devido à pandemia de Covid-19.

Para minimizar os efeitos que a inexistência de despromoções provocará na próxima época, a FPF decidiu alargar a competição a 96 equipas.

Além das 70 equipas que se mantiveram no escalão – nos quais se inclui o CD Trofense, participarão ainda, segundo a FPF, 20 equipas dos regionais.

Em comunicado divulgado este sábado, a direção do Futebol Clube Tirsense anunciou que a equipa sénior viu “reconhecido o direito de participar na edição 2020/2021 do Campeonato de Portugal”.

O anúncio seguiu-se à informação prestada pela Associação de Futebol de Porto de anunciar como vencedores da Divisão de Elite o Salgueiros, líder da série 1, e a formação jesuíta, líder da série 2.

Esta manhã, também o Salgueiros havia anunciado lugar no Campeonato de Portugal, que na próxima época terá 96 equipas, 20 das quais promovidas das associações regionais.

A dúvida persiste, uma vez que, com o Tirsense, estão indicadas 21 equipas dos regionais, a saber: Salgueiros, Rabo de Peixe, Moncarapachense, São João de Ver, Moura, Pevidém, Águia Vimioso, Alcains, Carapinheirense, Mortágua, Mondinense, Vianense, Oriental Dragon, União de Almeirim, Crato, Camacha, Pero Pinheiro, Juventude de Évora, Sporting Meda e GRAP.

Esta discrepância poderá ser resolvida com a desistência de algum emblema.

Caso o Tirsense garanta, efetivamente, lugar no Campeonato de Portugal, poderá haver uma reedição de um dos clássicos mais “quentes” da região, com o confronto entre eternos “rivais”. Trofense e Tirsense poderão defrontar-se, se forem colocados na mesma série.

Além dos promovidos dos regionais, participam mais quatro novas equipas B. O campeonato completa-se com os outros 70 clubes que se mantiveram.

Este escalão será composto por  oito séries de 12 equipas, nas quais os campeões terão direito de lutar pelo acesso à 2.ª Liga (com duas séries de 4 equipas, subindo o vencedor de cada uma), enquanto os quatro seguintes (do 2.º ao 5.º) disputam lugar na nova 3.ª Liga. Os últimos quatro (do nono ao 12.º) são despromovidos aos distritais.

De acordo com a Federação Portuguesa de Futebol, a 3.ª Liga vai ser disputada por 24 clubes em 2021/22 e 2022/23, sendo reduzida a 20 em 2023/24, enquanto o Campeonato de Portugal vai contar com 60 em 2021/22 e 56 em 2022/23 e 2023/24.

De acordo com a FPF, este “amplo plano de emergência e reestruturação do terceiro escalão do futebol sénior masculino português” resultou “da reflexão dos últimos seis meses com as associações e demais sócios FPF”.

A FPF aponta como objetivos “assegurar o maior número possível de projetos equilibrados, aumentar a competitividade, melhorar a qualidade de jogo, aproximar os adeptos do futebol local e “criar espaços de desenvolvimento para o jovem jogador português”.