Zona da Sardoeira, fustigada pelos incêndios em 2010, vai agora ser revitalizada com a plantação de cerca de 4500 árvores.

Cem mil. É um número redondo e agora promete ser “verde” graças ao projeto lançado pelo Centro Regional de Excelência em Educação para o Desenvolvimento Sustentável da Área Metropolitana do Porto (CRE.PORTO). O objetivo é plantar cem mil árvores de espécies espontâneas da região, para reflorestar cem hectares de áreas ardidas, livres ou que necessitam de reconversão. A Trofa foi um dos concelhos que aderiram à iniciativa e que vai ter um dos pontos de ação do projeto: a zona da Sardoeira, na freguesia de Covelas, bastante fustigada pelos incêndios florestais em 2010 e que vai receber “cerca de 4500 carvalhos, sobreiros, castanheiros e nogueiras”, informou fonte da autarquia trofense.

Esta área tem cerca de 13 hectares, é um povoamento misto de carvalhos e medronheiros, com 60 por cento da área clareira, e está incluída na Reserva Ecológica Nacional.

Para além de “criar bosques com espécies autóctones numa área metropolitana que precisa de enriquecer a sua biodiversidade, melhorar a qualidade do ar, proteger os seus solos e contribuir para uma melhor qualidade de vida das pessoas”, o projeto visa “informar e formar os cidadãos da região sobre a floresta (história, benefícios, características, gestão) e estimular o voluntariado florestal”.

Com cinco anos de validade, o “100.000 árvores” também tem como objetivo um “processo colaborativo” entre “autarquias, cidadãos, proprietários florestais, associações, instituições de ensino, entidades governamentais e empresas”.

Nas plantações, que começam em outubro deste ano e prolongam-se até fevereiro de 2012, serão privilegiadas espécies como carvalhos, sobreiros, amieiros, castanheiros, freixos, loureiros, medronheiros, ulmeiros, pinheiros-mansos, sabugueiros, amieiros e pilriteiros.

Ao projeto aderiram também as câmaras de Arouca, Gondomar, Maia, Santo Tirso, S. João da Madeira, Valongo e Vila do Conde.

O CRE.PORTO é uma rede com entidades públicas e privadas que atuam na área da educação-ação dos cidadãos para um futuro mais sustentável.

 

{fcomment}