Cerca de dez mil crianças provenientes das escolas de Vila Nova de Famalicão visitaram sete espaços museológicos e culturais do concelho, durante o ano lectivo 2006/2007, no âmbito do projecto educativo "Viagens pelo Património Cultural". O programa, pioneiro no campo da educação patrimonial, é promovido pela Câmara Municipal e destina-se a todas as crianças e jovens dos estabelecimentos de ensino básico e secundário do concelho, incluindo também os idosos e as pessoas com necessidades especiais, como cegos e surdos. O balanço do programa foi apresentado segunda-feira, pelo presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Armindo Costa, numa cerimónia que decorreu na Casa das Artes e contou com a entusiástica presença de centenas de crianças.

De acordo com Armindo Costa, entre 2003 e 2007, "em apenas quatro anos, o número de crianças e jovens que participaram no Programa "Viagens pelo Património Cultural" foi quase multiplicado por cinco." Este dado representa "o melhor indicador do grande sucesso desta iniciativa".

Citando os números que demonstram o sucesso do programa, o autarca sublinhou que em 2003-2004, quando este projecto começou, participaram 2010 alunos, em 2004-2005 participaram 3720 crianças, em 2005-2006  registou-se a participação de 5693 alunos, enquanto no ano lectivo de 2006/2007, foram 9687 as crianças e jovens que visitaram os museus do concelho.

"O projecto pedagógico "Viagens pelo Património Cultural", que é inovador no país, representa mais um investimento da Câmara Municipal na formação cívica e cultural da nossa população estudantil e de várias instituições educativas e sociais participantes", salientou o presidente da Câmara, acrescentando que "o que estamos a fazer, desde 2003, é despertar o interesse pela descoberta das diferentes realidades do património cultural do concelho de Famalicão, para que as nossas crianças e os nossos jovens possam conhecer, estudar e entender melhor a história e as raízes da nossa terra".

Para isso, o programa envolve para além dos cinco espaços museológicos que estão sob a tutela da autarquia – Casa-Museu de Camilo; Museu Bernardino Machado; Museu da Indústria Têxtil, Estação Arqueológica de Perrelos e Casa-Museu Soledade Malvar – o Museu da Fundação Cupertino de Miranda e o Museu dos Caminhos-de-Ferro de Lousado.

Na sua intervenção, Armindo Costa realçou ainda que "para o sucesso desta iniciativa, temos contado especialmente com o envolvimento da Comunidade Educativa, a começar pelos professores". E acrescentou: "É um envolvimento essencial para alcançarmos um objectivo comum: assegurar a salvaguarda da nossa memória colectiva, para que os famalicenses de amanhã se orgulhem dos seus antepassados, da sua história e da sua cultura".

A cerimónia contou também com a intervenção da coordenadora da Escola Básica S. Marçal de Esmeriz, Lélia Faria, que referiu a importância deste projecto para os alunos, "contribuindo para o enriquecimento crítico e interesse pelo passado e memória colectiva do concelho". De acordo com a responsável, "isto é cultura".

Refira-se que o projecto consiste, num primeira fase, em dar a conhecer às várias escolas participantes, os diversos museus do concelho e as suas figuras tutelares através da sua representação em maletas pedagógicas e dossiês didácticos. Posteriormente, os alunos são convidados a visitar os museus, preenchendo um "passaporte" que é carimbado em cada visita.

As escolas que completaram a visita aos sete espaços museológicos do concelho foram premiadas com uma viagem ao Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, para visitar a exposição "Pedra Formosa – Arqueologia Experimental de Vila Nova de Famalicão", que está patente no Museu Nacional de Arqueologia até ao final do ano de 2007. As viagens irão decorrer nos dias 19, 20 e 21 de Junho e envolvem 271 alunos, das Escolas Básicas do 1.º Ciclo do Cruzeiro, de Antas; da Serra, de Lousado; de S. Marçal, Esmeriz; da Estrada, Cabeçudos; e de S. Miguel-o-Anjo, Calendário. Os restantes participantes receberam um certificado e um saco com livros.

Dos vários espaços museológicos visitados, as crianças mostram preferência pelo Museu dos Caminhos-de-Ferro, de Lousado, sendo que, no ano lectivo que agora finda, este espaço foi visitado por 3435 alunos. Segue-se o Museu Bernardino Machado, com 2010 visitas. A Casa-Museu Camilo Castelo Branco recebeu 1345 crianças, logo seguida da Estação Arqueológica de Perrelos, com 1185 visitas. O Museu da Fundação Cupertino de Miranda registou 789 visitas, enquanto o Museu da Industria Têxtil acolheu 528. Por Fim, a Casa Museu Soledade Malvar recebeu 395 visitas.

Para a Rute Marlene, do 4.º ano da Escola do Cruzeiro, em Antas, a visita ao Museu dos Caminhos-de-Ferro foi "espectacular", pois proporcionou-lhe "uma viagem no tempo através dos comboios do século passado". Por sua vez, o João Carlos, também da Escola do Cruzeiro, de Antas, preferiu o Museu Bernardino Machado, tendo ficado "impressionado" com "os móveis e objectos antigos e a decoração do museu". Além disso, este aluno do 4.º ano é um grande admirador de Bernardino, "o homem que foi Presidente da República Portuguesa, por duas vezes, e que esteve exilado em França".