O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Armindo Costa, e o novo presidente do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), João Carvalho, acordaram hoje dar sequência a um protocolo já assinado entre as duas instituições com vista à instalação em Vila Nova de Famalicão de um pólo daquela escola pública de ensino superior politécnico.

No final da reunião de trabalho, que decorreu no gabinete do presidente da Câmara de Vila Nova de Famalicão, João Carvalho revelou que o IPCA – escola que tem a sua sede em Barcelos – poderá abrir na cidade famalicense cursos de especialização tecnológica, para alunos com o 12º ano de escolaridade, assim como pós-graduações Ipca em Famalicão reuniãoem áreas que não colidam com a oferta existente, nomeadamente na Universidade Lusíada e na Escola Superior de Saúde do Vale do Ave.

Para o efeito ficou agendada mais uma reunião de trabalho, em que, para além dos presidentes da Câmara Municipal e do IPCA, deverá estar presente a reitora da Universidade Lusíada de Vila Nova de Famalicão, Rosa Moreira, justamente para avaliar futuras fórmulas de cooperação entre as duas escolas.

"A Câmara de Vila Nova de Famalicão está de alma e coração com os projectos que o IPCA tem para a cidade, com vista a proporcionar mais oportunidades de formação aos jovens famalicenses", afirmou Armindo Costa, que ofereceu ao líder do IPCA um exemplar da dupla edição do romance "Amor de Perdição", de Camilo Castelo Branco, e do livro de poesia "Folhas Novas", da galega Rosalía de Castro.

João Carvalho manifestou confiança na expansão da escola superior politécnica, considerando que "a presença em Vila Nova de Famalicão é importante para o crescimento do IPCA". "Mas estamos aqui para cooperar com as escolas superiores existentes e não para fazer concorrência", adiantou o presidente do IPCA, acrescentando que a cooperação entre o IPCA e a Câmara Municipal de Famalicão dará frutos no terreno num futuro muito próximo . "De certeza absoluta", frisou João Carvalho, revelando que pretende cursos a funcionar já no próximo ano lectivo.

"Ao apostarmos na educação, desde o ensino pré-escolar ao superior, estamos a apostar no conhecimento e no saber, que são as ferramentas essenciais dos recursos humanos do século XXI", afirmou Armindo Costa, para quem "a solução para o problema do desemprego está na qualificação dos trabalhadores".

Recorde-se que o protocolo entre a Câmara de Vila Nova de Famalicão e o IPCA foi assinado em Setembro de 2005, prevendo a criação de dois cursos de pós-graduação em Informática para a Saúde e Redes e Segurança Informática. Porém, na altura registou-se uma sobreposição em relação à oferta disponível, facto que inviabilizou a inscrição de alunos suficientes para que os cursos pudessem avançar.