Há quatro escolas do concelho da Trofa na lista de 578 que vão ser intervencionadas para a remoção do amianto, no âmbito de um programa que custará 60 milhões de euros, com comparticipação comunitária.
No despacho conjunto do ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, e da ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, pode verificar-se que as escolas do concelho que estão contempladas no programa são a EB de Feira Nova, em S. Mamede do Coronado, a EB de Esprela, em S. Martinho de Bougado, Escola Básica e Secundária do Coronado e Castro, em S. Romão do Coronado e a EB de Giesta, em Alvarelhos.

Este programa para a retirada do amianto foi anunciado no início de junho, num contexto de aproveitamento do encerramento das escolas, imposto como medida de mitigação da propagação do novo coronavírus.

A utilização de fibras de amianto foi proibida no quadro normativo nacional em 2005.

“A remoção do fibrocimento vai ser feita pelos autarcas, utilizando fundo comunitário dos programas operacionais regionais que eu tutelo. Envolvemos as autarquias, porque metade das escolas identificadas são das autarquias e a outra metade do Ministério da Educação e não há ninguém mais bem preparado para, rapidamente, remover este amianto do que os autarcas, tendo todas as condições para o fazer, já que o programa é financiado a cem por cento”, detalhou Ana Abrunhosa, ministra da Coesão Territorial, à margem de uma visita a uma empresa de Santo Tirso, destruída por um incêndio na noite de segunda-feira.