Associação Mundos de Vida lança campanha para atrair famílias de acolhimento

Em Portugal existem cerca de cem famílias de acolhimento, um número ainda muito abaixo da média europeia. Há sete anos que a associação Mundos de Vida, sediada em Lousado, tenta contrariar esta realidade, com a promoção da campanha “Procuram-se Abraços”, no sentido de sensibilizar para o direito de uma criança ter uma família.

O lançamento da edição de 2014 da campanha “Procuram-se Abraços” aconteceu no concelho da Maia, no Dia do Pai, 19 de março, e logo com uma boa notícia: este ano, o concelho de Braga associou-se à causa e alargou para 11 o número de autarquias envolvidas.

Com o alargamento do espectro geográfico, a associação também ampliou a “esperança” de “conseguir um maior número de famílias de acolhimento”, como admitiu ao NT e à TrofaTv Celina Cláudio, diretora técnica do serviço de Acolhimento da Mundos de Vida. “O repto que lanço a todas as famílias é que procurem informar-se sobre o que consiste o acolhimento. Não tenham receio, porque todas as fases são vividas de uma forma gradual e são mediadas por uma equipa que está sempre presente. Sabemos que alguns dos receios das famílias é o momento da despedida, mas essa também é uma fase preparada e não é algo imediato nem uma rutura abrupta”, explicou.

Madrinha da campanha desde a primeira edição, em 2007, a apresentadora de televisão Sónia Araújo considera que é importante continuar a passar a mensagem de que quando não é possível crescer junto da família biológica, “é de todo desejável que esteja num ambiente familiar”. “Por muito boa vontade que as instituições tenham para acolher crianças, muitas vezes elas ficam anos e anos institucionalizadas até serem adotadas”, afirmou, em jeito de sobrepor o acolhimento familiar à institucionalização.

A apresentadora admite que “ainda há uma certa relutância para aceitar” esta causa, no entanto acredita que “com o empenho de todos, as mentalidades vão continuar a mudar e a abrir horizontes”.

A campanha reveste-se de importância crescente por exaltar um dos “direitos fundamentais da criança”. É este o entendimento do presidente da Comissão Nacional de Protecção de Crianças e Jovens, Armando Leandro, que defende que “hoje está provado que só há desenvolvimento de qualidade, seja ele dialético, cultural, social e económico se, porventura, houver uma infância feliz das pessoas”. “É um movimento espontâneo, muito bem organizado da sociedade civil para responder ao direito que a criança tem de ter uma família, que a ame, que seja responsável por ela e que seja capaz de, respeitando a sua autonomia, promove o seu desenvolvimento integral”, sublinhou.

No ano em que se assinalam os 25 anos da Convenção Internacional dos Direitos da Criança, a Mundos de Vida vai prolongar a campanha, intensificando as ações de intervenção junto da população. Além da promoção através dos meios de comunicação – folhetos, outdoors, spots de rádio, notícias e atividades nas redes sociais –, a associação propôs-se a organizar “a maior caminhada de pijama do mundo”, a 1 de junho, Dia Mundial da Criança. Celina Cláudio adiantou que, em colaboração com a Associação Portuguesa de Famílias de Acolhimento, será entregue na Assembleia da República “uma petição” na qual “constará, simbolicamente, um desenho feito por uma criar, que será a voz dela para expressar o direito de crescer em família”.

Durante o lançamento da campanha, que contou com uma breve atuação de Pedro Abrunhosa, foi divulgado um vídeo com testemunhos de famílias de acolhimento. Estiveram presentes autarcas e responsáveis dos pelouros da ação social das autarquias envolvidas, incluindo Isabel Veiga, chefe da divisão na Câmara da Trofa.