Este ano, coube ao lugar da Lagoa, em Santiago de Bougado, organizar as festas em honra de Nossa Senhora do Rosário, que se realizam este fim de semana, no Souto do Lagoa.

A procissão de encerramento do mês de maio marca o início das festas em honra de Nossa Senhora do Rosário, que decorrem este fim de semana, no Souto da Lagoa. Pelas 21 horas, a procissão sai do Largo da Samogueira, passando pelas ruas do Padrão, Manuel Portela, Blandina Sampaio e Gil até à Igreja Matriz de Santiago de Bougado.

No dia seguinte, pelas 11 horas há a missa solene com a participação do grupo coral da paróquia e o terço, pelas 17 horas, seguido da procissão em honra da Santa, que vai contar com os andores de Santiago, Santo António e Nossa Senhora do Rosário, que vão percorrer o Souto da Lagoa.

A noite é dedicada à vertente profana, com as atuações, a partir das 21 horas, do Rancho Etnográfico de Santiago de Bougado, da cantora Márcia Azevedo e do conjunto musical Santo André. As festas encerram com uma “grande sessão” de fogo de artifício.

A comissão de festas do lugar da Lagoa, constituída por “16 pessoas”, é liderada pelo tesoureiro Vítor Maia e os vogais Mário Silva e Boaventura Ramos. Na antevisão às festividades, Vítor Maia contou que está “tudo a correr normalmente e dentro dos trâmites legais”. Para a organização das festas, com um orçamento a “rondar os seis mil euros”, a comissão usou “a quota anual” que se paga à Confraria do Rosário, no valor de “50 cêntimos por pessoa”, mais “um donativo exterior”. Além disso, a comissão de festas recebeu “patrocínios da Câmara Municipal da Trofa, Junta de Freguesia de Bougado e do jornal O Notícias da Trofa”, assim como de “diversas pessoas”, que ofereceram “as flores para enfeitar os altares da igreja”. “Não houve nenhuma pessoa que se negasse. Cada um pagou as flores do seu altar, que foram entregues às zeladoras que vão enfeitar. Para os andores também tivemos oferta, sendo que apenas vamos pagar 50 por cento de um”, enumerou.

Vítor Maia mencionou que “na Lagoa há sempre pouca adesão” na vertente profana, uma vez que, depois da celebração religiosa, “o povo abandona” o recinto. Mas, este ano, a Confraria gostaria de ver “muita gente” no Souto da Lagoa e, nesse sentido, deixa um convite a toda a comunidade: “Que à noite, a partir das 21 horas, estivessem presente para assistir ao programa, que foi feito para todos os gostos e dentro das nossas disponibilidades”.

O tesoureiro da Confraria aproveitou para “agradecer às pessoas que ofereceram as flores e os seus préstimos” para as festas, assim como ao “padre Bruno (Ferreira) e ao seu secretário Diogo que foram muito prestáveis e ajudaram no que foi possível”.