Formar o plantel, que actualmente conta com 26 jogadores, "foi fácil", já que, segundo Adalberto Maia, presidente do Bougadense, "a continuidade dos atletas já estava decidida há algum tempo" e "foi apenas necessário fazer alguns ajustamentos" com reforços que chegaram um pouco de toda a parte, inclusive do Trofense. O presidente fez questão de afirmar que as relações "sempre foram boas".

  Adalberto Maia assumiu o cargo de presidente do Bougadense numa altura conturbada, em que a situação financeira era grave e os resultados desportivos não correspondiam ao desejado. A manutenção esteve em risco, mas a entrada de Agostinho Lima na equipa sénior permitiu que o clube somasse os pontos suficientes para sair da "zona dos aflitos".

Desde então a direcção tem encetado esforços para levantar o clube do fosso financeiro, criado pelos elevados investimentos no parque de jogos e plantel. Em entrevista ao NT, Adalberto Maia reforçou o desejo de ter uma "temporada bem mais tranquila que a anterior" e uma equipa "que respeite a camisola". A direcção "vai fazer com que nada lhes falte" e "deseja-lhes a maior sorte".

Formar o plantel, que actualmente conta com 26 jogadores, "foi fácil", já que, segundo o presidente, "a continuidade dos atletas já estava decidida há algum tempo" e "foi apenas necessário fazer alguns ajustamentos" com reforços que chegaram um pouco de toda a parte.

A particularidade do plantel é o facto de ter dois irmãos, João e Gil, o primeiro oriundo do Desportivo de Portalegre e o outro vindo das camadas jovens do Clube Desportivo Trofense.

Juntamente com Gil, mais dois atletas juniores do Trofense ingressaram no clube, Vítor e Pedro Maia, o que indicia as boas relações entre os clubes. Adalberto fez questão de referir "que sempre estiveram boas, mesmo no tempo de outras direcções. Agora ainda mais, porque as pessoas são diferentes, elas sabem quais são as nossas ideias e nós sabemos as delas. Sentimos o apoio do Trofense e ele é sempre bem-vindo".

Ficar entre os cinco primeiros classificados não é uma meta que o presidente assume como prioritária, já que apenas pretende a manutenção o mais rápido possível. Este desejo manifestado por Agostinho Lima, "demonstra o quão ambicioso é" o técnico, afirmou Adalberto Maia.

"O Agostinho é, por natureza, um vencedor. Ele vai tentar incutir aos jogadores a necessidade de fazermos pontos e por isso passa esta mensagem de lutar pelos primeiros lugares. Ele sabe o valor que tem no plantel, por isso tenho toda a confiança no seu trabalho", afirmou.

No que respeita ao calendário Adalberto Maia rejeita facilidades e sublinha a necessidade de entrega por parte dos atletas: "neste campeonato agora não há jogos fáceis. Temos que pensar jogo a jogo e só no fim é que podemos tirar ilações. Tem que valer a pena a luta, com muito esforço e empenho de todos", concluiu.

O Bougadense apresenta-se aos sócios a 30 de Agosto, com um jogo com equipa ainda a designar. Até lá Agostinho Lima vai ter oportunidade de contactar com os jogadores e tentar incutir-lhes os seus métodos de jogo.