As comemorações dos 11 anos da criação do concelho da Trofa já começaram. A presidente da autarquia Joana Lima convida os trofenses a participar nas festividades e “a cantar os parabéns a mais um ano de autonomia”.

Muito “bairrismo” para comemorar os 11 anos do concelho é a proposta apresentada por Joana Lima, presidente da Câmara Municipal da Trofa. As comemorações tiveram início, na passada sexta-feira, com os Alvadance e no sábado o dia ficou marcado pelo concerto com a participação de várias orquestras de ritmos ligeiros.

“De uma forma muito simples, mas muito significativa”, Joana Lima apostou totalmente nos “grupos do concelho da Trofa” e não se arrepende da escolha. “Vamos assinalar o aniversário sempre com o nosso bairrismo, com o nosso sentimento de satisfação por estarmos a comemorar mais um aniversário do nosso concelho”, frisou.

Esta quinta-feira, feriado municipal a sessão solene decorre “dentro dos moldes dos anos anteriores”. Os festejos começam às 10 horas com o hastear das bandeiras no edifício sede da Câmara Municipal. Joana Lima destacou a participação de Rui Moreira, presidente da Associação Comercial e Industrial do Porto para falar de cidadania. “Foi escolhido este tema porque estamos prestes a comemorar os cem anos da República, e a Câmara Municipal da Trofa também vai ter em conta esse tema tão importante, até porque temos um trofense que esteve ligado à Primeira República”, adiantou a edil.

A tradicional vitela assada não podia faltar e Joana Lima irá manter a tradição, no Parque Nossa Senhora das Dores, pelas 19 horas. “Esta tradição começou com um ilustre trofense que deu muito de si à Trofa, o Senhor Eurico Ferreira e desde já quero prestar-lhe a minha homenagem em relação ao trabalho e todo o apoio que deu à Câmara e à Trofa”, declarou.

joana-lima

Com o estômago reconfortado, segue-se a actuação dos Meninos Cantores do Município da Trofa, às 21 horas, na Igreja de Santiago de Bougado, com a interpretação de uma peça de Matilde Rosa Araújo – “Anjos de Pijama”. “Esse tema também será gravado e vai ser editado, com certeza, pela Câmara Municipal da Trofa”, antecipou.

Seguem-se as actuações do Orfeão Santhyago, na sexta-feira, às 21.30 horas na Igreja Matriz de Covelas e da Banda de Música da Trofa, no sábado, às 18 horas, no Salão da Junta de S. Martinho de Bougado.

“Iremos com certeza cantar os parabéns a mais um ano, de autonomia política e administrativa, mais um ano em que os trofenses se devem orgulhar por sermos um concelho”, garantiu Joana Lima.

 

Joana Lima faz horas extra para cumprir promessas aos trofenses

“Muitas horas de trabalho árduo”. É desta forma que Joana Lima descreve as primeiras duas semanas de trabalho como presidente da Câmara Municipal da Trofa. “Há muito trabalho pela frente para se fazer, primeiro conhecemos os dossiers, apresentámo-nos aos serviços, conhecemos as divisões mas ainda não foi possível estabelecer contacto com todas”, esclareceu a autarca, acrescentando que até ao domingo tem estado na Camara. “Eu posso dizer que no domingo vim despachar assuntos para poder estar presente em todas as audiências marcadas nos dias seguintes” adiantou.

As mudanças já tiveram início e Joana Lima começou por “alterar algumas práticas que estavam a ser implementadas na Câmara” e com as quais não concordava.

Quanto à “situação financeira muito preocupante”, a edil tranquilizou os trofenses: “Já estamos a encetar todas as diligências para podermos então fazer um PPI (Plano Plurianual de Investimentos) para 2010 e um orçamento real”.

Garantindo que não pensa em projectos e em fazer gastos avultados, Joana Lima pede a compreensão de todos. “No início, as instituições vão sofrer, entre aspas, porque vão sentir que vão haver algumas mudanças, mas no futuro e num futuro a curto prazo as instituições vão perceber que esta mudança é positiva”, adiantou. Assim, os compromissos assumidos “serão para cumprir”: “Se acertarmos com uma instituição, que vamos fazer determinada coisa, ou determinado pagamento, em determinada data, essa diligência tem que ser feita e cumprida”.

“Trabalho e honestidade” são as garantias dadas pela primeira mulher a assumir o executivo camarário na Trofa. “O trabalho é árduo, mas gratificante, porque penso que, cada vez mais, estou convicta de que vamos fazer um bom trabalho, até porque da forma como as coisas estão, sentimos capacidade, vontade política e sobretudo uma vontade enorme de dizer aos trofenses que vamos ser diferentes”, reiterou.