A força do “Homem mais forte de Portugal” foi demonstrada na abertura do Be Live – Festa da Juventude, com Sandro Eusébio a conseguir puxar um veículo dos Bombeiros Voluntários da Trofa, que pesa cerca de dez toneladas.

Já no último dia do certame, pôs uma vez mais a força à prova, ao levantar uma viatura ligeira. “Toda a gente gosta de ver a arrastar camiões e a levantar carros, pelo impacto visual ser maior”, contou Sandro Eusébio, que confirmou “não apreciar muito” o Strong Men (homem forte) e preferir a modalidade de Powerlifting.

Apesar de ser convidado “muitas vezes para participar e até agora nunca ter perdido”, Sandro Eusébio, que gere um ginásio em Alvarelhos, “não gosta muito” desta modalidade, que considera ter “muito show off”, preferindo o “Powerlifting”, por ser “um desporto de força mais verdadeiro”.

O certo é que através destas duas demonstrações, o atleta chamou a atenção dos visitantes que passaram pelo certame, aproveitando para “promover o Powerlifting” e falar sobre o sonho de ir ao Campeonato do Mundo. “Este ano, a equipa de Alvarelhos é pequena – são só quatro – e a principal preocupação é angariar fundos para competir lá fora. Queríamos ir a este Mundial porque o próximo é organizado em Portugal, por nós”, contou Sandro Eusébio.

Com duas campeãs do mundo – uma parou de treinar e competir porque está grávida -, um vice-campeão do mundo e um 4.º classificado, o atleta, que no último campeonato não participou por se ter lesionado, gostaria de marcar presença nesta edição “nem que fosse para uma das atletas tentar revalidar o título”.

Com o ginásio “há 13 anos junto ao Monte de Santa Eufémia, em Alvarelhos”, Sandro Eusébio espera contar com “um donativo por muito pequeno que seja” da comunidade, para conseguir participar, juntamente com os outros três atletas, no Campeonato do Mundo, que se realiza de 10 a 16 de novembro, nos Estudos Unidos da América, na Florida.

Para quem não conhece a modalidade, o atleta explicou que o Powerlifting é “um conjunto de três movimentos”: o agachamento, o supino e o levantamento terra ou peso morto. No primeiro movimento, o atleta tem “a barra colocada em cima dos ombros” e tem que descer “quase como se estivesse sentado, subir e pousar a barra”. Já no supino, o atleta está deitado no banco e tem que tirar a barra, descê-la ao peito e subir, à ordem do árbitro, e pousá-la. No levantamento terra, a barra está colocada no chão e o atleta tem que a erguer até receber ordem de “down” do árbitro principal e depois, por tentativa, tem três movimentos, sendo que “é validado o movimento com maior carga levantada”. A soma dos três melhores movimentos dá um total que define se se ganha ou perde.

 

Campeonato Nacional em Alvarelhos

A Academia Corpos, na Rua Central de Cidoi, em Alvarelhos, vai ser palco do Campeonato Nacional de Powerlifting por equipas, com início marcado para as 15 horas de domingo, 27 de julho. Cada equipa tem no máximo quatro atletas, em que cada um conquista um determinado número de pontos e o somatório dos quatro atletas atribuiu o total. Para Sandro Eusébio, “à partida”, a equipa de Alvarelhos vence a prova.