Quais as características e vantagens da terra enquanto material de construção acessível, natural e ecológico. 

Este foi um dos vetores que conduziram o seminário “A Nossa Terra”, realizado no CICCOPN, no dia 5 de julho. O evento, subordinado ao tema geral da arquitetura e construção com terra, contou com a presença de formadores, formandos e parceiros europeus do centro que, em conjunto, participam no projeto “Terres à Terres”, no âmbito do programa Grundtvig – Aprendizagem ao Longo da Vida. 

Várias apresentações de instituições ligadas à temática (Escola Superior Gallaecia, Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Universidade do Minho, Associação Centro da Terra e empresa Casa da Cor) enriqueceram o seminário que, com a presença dos parceiros europeus ganhou importância crescente por “conceder uma vertente multinacional ao evento”, possibilitando “a troca de experiências e de conhecimentos entre os oradores e alguns dos presentes”, revelou uma fonte ligada ao centro.

Seguiu-se uma tarde passada no Porto, com a realização de uma oficina prática sobre tabique, organizada nas instalações da empresa SKREI. A vinda dos parceiros europeus incluiu ainda um segundo dia de trabalho, em Guimarães, atual Capital Europeia da Cultura, onde os participantes tiveram oportunidade de conhecer as fases da reabilitação do centro histórico. Esta visita foi acompanhada por um técnico daquela autarquia e ainda à Universidade do Minho, onde ficaram a conhecer o Laboratório de Materiais, com particular incidência sobre os estudos relativos à utilização da terra como material de construção.

“A construção com terra é cada vez mais encarada como uma opção válida para um futuro sustentável da construção. Ao realizar este seminário e ao participar neste projeto, o CICCOPN reforça a sua aposta em novas áreas de competências, reafirmando também o empenho na formação ligada à reabilitação urbana”, concluiu a mesma fonte. 

{fcomment}