Assaltantes actuaram de madrugada e levaram uma quantidade equivalente a quatro grades de cerveja, cerca de 800 maços de tabaco e 150 euros, entre outro material.

 Eram 3.05 horas da madrugada de terça-feira quando o alarme tocou no posto de combustível da Total, em S. Romão do Coronado. Tratou-se do sétimo assalto efectuado naquela bomba gasolineira nos últimos dois anos.

As quatro portas de entrada foram partidas na totalidade e a grade forçada, ao que tudo indica segundo a polícia, com um cabo. Segundo o NT conseguiu apurar junto do proprietário do posto da Total, as imagens de videovigilância mostram a presença de quatro indivíduos no interior da bomba e um outro no exterior do posto, dentro da viatura.

Em declarações ao NT, uma das funcionárias do posto de combustível adiantou que do interior da bomba os indivíduos levaram uma quantidade equivalente a quatro grades de cerveja, cerca de 800 maços de tabaco, tabaco de enrolar, murtalhas e cerca de meia dúzia de caixas de tubos de enrolar para tabaco. Para além de todo este conteúdo, o assalto rendeu ainda uma quantia de 150 euros, montante que se encontrava no interior da caixa, acrescentou o proprietário da bomba.

No armazém os assaltantes reviraram todo o conteúdo, mas não furtaram nada. De acordo com a funcionária, depois de remexerem nas gavetas do balcão à procura daquilo que se acredita ser as chaves da porta do escritório, os indivíduos tentaram forçar a mesma, mas a tentativa saiu furada, pelo facto da porta ser blindada. Face aos assaltos de que aquela bomba gasolineira tem sido alvo, a porta das traseiras, por onde entram os funcionários, e a porta do escritório foram recentemente reforçados, adiantou a funcionária.

Alertado pelo som do alarme e pela chamada do proprietário do posto da Total, o habitante da casa vizinha, e pai de uma outra funcionária da bomba, terá visto os assaltantes a colocarem-se em fuga e ainda terá disparado alguns tiros com uma caçadeira para amedrontar os indivíduos.

Cerca das 3.30 horas, o proprietário da bomba e uma das funcionárias, chegados ao local, depararam-se com o cenário de destruição, caracterizado por inúmeros vidros e estilhaços espalhados no chão e as portas e a grade partidas. “Tal não foi a descontracção dos indivíduos” segundo a funcionária, que ainda houve tempo para espalhar lixo e isqueiros sob os vidros partidos no chão e levar meia dúzia de chocolates.

Alertada, a GNR da Trofa enviou uma patrulha para o local de madrugada. Já na manhã de terça-feira uma equipa do Núcleo de Investigação Criminal de Santo Tirso esteve no local a recolher indícios no local e impressões digitais na porta do escritório e no interior do armazém, não se sabendo até ao momento a identidade das mesmas.

O caso permanece agora entregue à GNR, que se encontra a encetar as diligências no sentido de apurar a identidade dos assaltantes.

Desde 12 de Junho de 2007, data a partir da qual se encontra em funcionamento o posto da Total em S. Romão do Coronado, já foram efectuados sete assaltos àquela bomba. Na madrugada do passado sábado, uma outra tentativa de furto terá ocorrido naquele posto, mas sem sucesso por parte dos indivíduos.