cantares-janeiras 

Rancho Etnográfico de Santiago de Bougado reuniu grupos de Gondomar, Matosinhos e Coimbra no III Encontro de Cantares de Janeiras. O evento que se realizou no domingo encheu o Auditório da Junta de Freguesia de Santiago de Bougado.

Cantam ao menino e aos donos da casa, mas durante cerca de um mês cantam ao frio e à chuva, tudo para “manter a tradição”. Há muito que os Cantares de Janeiras ecoam pelas ruas do concelho na época de Natal. A tradição ainda não desapareceu e o Rancho Etnográfico de Santiago de Bougado juntou mais uma vez as melhores melodias.

O terceiro Encontro de Cantares de Janeiras decorreu no domingo, no Auditório da Junta de Freguesia de Santiago de Bougado que, apesar do frio que se fazia sentir, aqueceu ao som dos cantares da Associação Folclórica Cantarinhas da Triana (Gondomar), do Grupo Etnográfico da Região de Coimbra, do Rancho Típico de S. Mamede Infesta (Matosinhos) e do anfitrião, Rancho Etnográfico de Santiago de Bougado.

As candeias iluminavam o caminho daqueles que davam as boas festas porta-a-porta, as grandes capas e samarras protegiam do frio e as mulheres com os típicos lenços à cabeça entoavam bem alto os cânticos ao Menino Jesus. Durante a tarde, o Auditório recuou no tempo e cada grupo envergou os trajes típicos das diferentes regiões. Não faltaram as rabanadas bem regadas com um bom vinho tinto.

As pessoas não fecham a porta às tradições e Fernando Monteiro, presidente do Rancho Etnográfico de Santiago de Bougado, comprovou-o mais uma vez este ano. “Nós só nos temos de queixar do tempo, choveu e esteve muito frio e tivemos de acabar sem chegar ao fim porque não aguentamos, estamos aqui mais ou menos 70 por cento das pessoas, as outras estão retidas no leito”, lamentou.

O lugar da Maganha foi o único que não foi visitado pelo Rancho, mas ficou a promessa: “Maganha é a terra que fica mais longe e infelizmente não chegamos lá. Vamos prometer no próximo ano começar por lá”.

Mas mesmo com menos elementos, o Encontro das Janeiras não deixou de se realizar. “A tradição em Santiago de Bougado é de cantarmos as Janeiras porta-a-porta e o culminar de toda esta situação é aqui na Junta de Freguesia. Assim aqueles que não estão em casa nos dias em que nós passamos poder ouvir aqui o que nós cantamos”, esclareceu Fernando Monteiro, satisfeito pela repetição da iniciativa que encheu o Auditório.

António Azevedo, presidente da Junta de Freguesia de Santiago de Bougado, também se mostrou satisfeito com a adesão à iniciativa que “é para continuar”. “Este é um local magnífico e acolhedor e tem uma acústica muito boa. Está muito frio lá fora, mas aqui dentro está muito agradável. Tenho dito que a Junta está aberta a todas as associações que queiram aqui realizar algum evento”, adiantou.

A representar a Câmara Municipal da Trofa, Assis Serra Neves, vereador do pelouro da Cultura da autarquia, ficou surpreendido com a qualidade demonstrada por todos os grupos e a “boa organização” do evento que junta cada vez mais jovens. “É muito importante manter as tradições com este tipo de iniciativas e nestes grupos começam-se a ver muitos jovens, o que acho importante, é sinal de que estamos no bom caminho”, reiterou.