quant
Fique ligado

Ano 2012

Pôr fim ao desastre

Publicado

em

Ao longo deste ano e meio de aplicação do Pacto de Agressão ao povo e ao país, os seus promotores (PS, PSD e CDS, apoiados pelo Presidente da República) contaram sempre com o apoio da generalidade dos comentadores dos diversos órgãos da comunicação social. 

Durante muito tempo, apenas o PCP denunciava que este rumo levaria o país ao afundamento, como agora se comprova. Hoje, é muito vasta a consciência de que este rumo não resolve os problemas do país. A situação é de tal forma que, já ninguém quer ser responsável pelas políticas do governo, nem pelo Orçamento de Estado recentemente apresentado. Os próprios dirigentes e governantes do PSD e do CDS ensaiam demarcações, parecendo que este orçamento não tem autores. 

Os comentadores de serviço, agora alteram ligeiramente o discurso. Já não prometem o oásis, apenas dizem que não há alternativas. Nada mais falso! O PCP tem insistido na necessidade e na possibilidade de uma outra política, que rompa com 36 anos de política de direita, rejeite o pacto de agressão e assuma os valores da Constituição da República. Estes que apelam à resignação e dizem que não há alternativas, afirmam que o país não tem dinheiro, mas não mexem a sério nas negociatas das PPP‘s, pagam mais de 35 mil milhões de euros de juros pelo tal “empréstimo” da troika, enterram mais de 8 mil milhões no BPN para tapar as negociatas dos amigos.

Sim, há alternativa. Se o país exigir a imediata renegociação da dívida pública – nos seus prazos, juros e montantes. Um processo que envolve: o apuramento e a renúncia da componente ilegítima da dívida; a diversificação das fontes de financiamento do Estado; a anulação ou renegociação de contractos das chamadas Parcerias Público-Privadas; a assunção de um serviço da dívida compatível com as necessidades de crescimento económico e criação de emprego.

Sim, há alternativa se houver justiça fiscal com uma alteração radical da política fiscal, rompendo com o escandaloso favorecimento da banca, da especulação financeira, dos lucros dos grupos económicos nacionais e estrangeiros e aliviando a carga fiscal sobre as massas laboriosas. Uma política que promova a diminuição do IVA, o combate à fraude e evasão fiscais, o fim dos offshores, a efetiva tributação dos ganhos mobiliários, do património de luxo e da especulação bolsista. 

Sim, há alternativa ao desemprego e ao afundamento do país. Portugal não é um país pobre, tem recursos que têm vindo a ser destruídos. Precisamos produzir mais para sermos menos dependentes dos outros. Precisamos apoiar as PME‘s, diminuindo os custos da energia e dos combustíveis (afrontando os interesses dos acionistas da EDP e da GALP).

Sim, há alternativa ao empobrecimento dos trabalhadores e do povo. É possível distribuir melhor a riqueza, valorizar salários e pensões, aumentar o poder de compra e, por essa via, dinamizar o mercado interno. No passado, muito foram os profetas da desgraça. Durante 48 anos o país viveu sob uma ditadura que oprimia o povo. Foi possível dar a volta. Antes como hoje, o PCP não vira as costas ao povo e ao país. Também agora, quando os sucessivos governos roubam quem trabalha e afundam o país, será possível dar a volta a isto.

Pela luta de quem é atingido por estas políticas, não baixando os braços, não aceitando que prossiga este desastre, aderindo à Greve Geral de 14 de novembro, fazendo desse dia uma grande jornada de confiança e luta por um país com futuro.

Publicidade

Jaime Toga

 {fcomment}

Continuar a ler...
Publicidade
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

Ano 2012

Verbas da Câmara para as obras da Junta tema da Assembleia

Publicado

em

Por

Na sessão ordinária de dezembro da Assembleia de Freguesia de S. Romão foram aprovados o Plano de Atividades e Orçamento para 2013.
Informação sobre a reunião do executivo e membros da Assembleia de Freguesia com Joana Lima sobre as “transferências deliberadas em maio de 2009 e destinadas à remodelação da Casa Quinta de S. Romão” provocou divergências.

(mais…)

Continuar a ler...

Ano 2012

Assembleia de S. Mamede – Documentos previsionais aprovados com abstenção do PSD

Publicado

em

Por

Na sessão ordinária da Assembleia de Freguesia de S. Mamede do Coronado foram aprovadas, com a abstenção do PSD, as propostas para o Plano de Atividades, PPI, Orçamento e Mapa de Pessoal para 2013.

O Plano de Atividades, o Plano Plurianual de Investimentos (PPI), Orçamento e Mapa de Pessoal para 2013 estiveram em discussão na última Assembleia de Freguesia de S. Mamede do Coronado, que decorreu na quinta-feira, dia 20 de dezembro.

(mais…)

Continuar a ler...

Edição Papel

Comer sem sair de casa?

Facebook

Farmácia de serviço

 

arquivo

Neste dia foi notícia...

Ver mais...

Covid-19

Pode ler também

} a || (a = document.getElementsByTagName("head")[0] || document.getElementsByTagName("body")[0]); a.parentNode.insertBefore(c, a); })(document, window);