Para protecção e segurança do comércio e indústria locais a Câmara Municipal da Trofa e a Polícia Municipal assinaram, esta quarta-feira, um protocolo com a AEBA – Associação Comercial do Baixo Ave e vão lançar em conjunto o Projecto Sentinela.

Numa altura em que se multiplicam os assaltos a estabelecimentos comerciais e empresas no país, a Trofa não foge à regra. No entanto, atenta a este problema a Polícia Municipal da Trofa deu o mote para a concretização de um protocolo entre a autarquia e a AEBA, e através deste projecto de cooperação será constituída uma base de dados em suporte informático, para contacto com estabelecimentos comerciais existentes na Trofa em situações de emergência.

protocolo-aebaPara Manuel Pontes, presidente da Associação Comercial, o Projecto Sentinela é “tem muito interesse para o concelho e o Sr. Presidente sabe que a AEBA está sempre pronta a colaborar em tudo, sobretudo para a melhoria das condições de vida do concelho”, afirmou.

“Os tempos que correm são um pouco conturbados em que se acusa tudo e todos da falta de segurança”, acrescentou Pontes, por isso, “penso que está a ser dado mais um passo no sentido de darmos mais segurança aos cidadãos”.

Já Bernardino Vasconcelos, presidente da autarquia, realçou a iniciativa tomada pela Polícia Municipal: “foi por sensibilização da Polícia Municipal junto do executivo, que nós estamos aqui hoje a celebrar este protocolo, no sentido de a AEBA nos fornecer um conjunto de dados para elaboração de uma base de dados, para que tenhamos conhecimento de quem são os responsáveis dos vários estabelecimentos, e empresas”.

O projecto Sentinela, segundo o autarca “poderá trazer a este concelho mais segurança, tanto a estes estabelecimentos comerciais, ficando as pessoas com um apoio adicional face à preservação dos seus bens, como a protecção delas próprias”.

A Polícia tem verificado que após o horário de expediente dos estabelecimentos e de funcionamento das indústrias do concelho, quando surge a necessidade de comunicação com algum responsável dos estabelecimentos ou indústrias, é muito difícil consegui-la, sendo os responsáveis alertados do sucedido apenas na manhã seguinte.

Agora, com o acesso à base de dados, a Polícia Municipal poderá entrar em contacto com os representantes legais das empresas, em casos de furtos ou de alarmes disparados em que existam indícios de alguma anomalia, visando a protecção de bens e dos munícipes.