Maio de 2008 é data da abertura das Piscinas Municipais da Trofa ao público. O anúncio foi feito por Bernardino Vasconcelos, presidente da autarquia da trofa, durante a Assembleia Municipal. O autarca confirmou ainda que as máquinas de terraplanagem já começaram a rasgar o novo Túnel da Variante à Linha do Minho.

   O complexo das Piscinas Municipais da Trofa deverá abrir portas em Maio, tendo assim uma derrapagem no prazo de execução de cerca de um mês e meio. De acordo com Bernardino Vasconcelos este equipamento desportivo, construído no lugar de Real, em S.Martinho de Bougado, estará pronto a receber os utilizadores.

Ainda no decorrer da sessão ordinária da Assembleia presidida pelo social-democrata Daniel Figueiredo, Vasconcelos anunciou que as obras de terraplanagem para a construção do Túnel da Variante à Linha do Minho já começaram. O edil anunciou ainda que "foi esta semana (semana passada) foi lançado o concurso para a execução do projecto da Linha de Metro da Trofa" e "prevê-se que estará concluído em Julho", assegurou.

Apesar de esta Assembleia ter apenas previstos dois pontos no Período da Ordem do Dia, foi antes da Ordem do dia que se registaram mais intervenções. Um dos momentos mais marcantes foi protagonizado por Fernando Moreira,presidente da Junta de Freguesia de Covelas que acusou os Socialistas de "enxovalhar o nome do presidente e da Junta de Covelas fazendo crer que o presidente é corrupto e não é sério", asseverou o autarca, eleito nas listas do PSD.

O autarca recusou o rotulo que os socialistas alegadamente lhe terão tentado colocar e acusou-os de não saberem o que "andar a fazer", referindo-se às obras da Ponte de Coura que "são da Responsabilidade da Camara e não da Junta", frisou. Quanto às lixeiras o presidente afirmou que os outros colegas autarcas de outras freguesias não deviam colocar as culpas nele, pois nas outras freguesias também as há.

Da bancada socialista saíram esclarecimentos com Teresa Fernandes a esclarecer que "a versão que ouvimos em Covelas no que diz respeito à falta de pavimentação da Rua da Gabriela foi outra", assegurando que "o lixo e os postes partidos da EDP estavam na beira da estrada, o que para um concelho da Grande Área Metropolitana do Porto, em pleno seculo XXI não é admissível".

Já Paulo Serra do CDS/PP alertou o presidente da Camara da inexistência de protecção ao longo da Estrada Nacional 14, na ponte sobre o Rio Trofa e sobre o Ribeiro de Lantemil, que caíram na sequência de acidentes de viação e que até agora não foi reposta. Bernardino Vasconcelos esclareceu que estas pontes são consideradas obras de arte e que a autarquia não pode intervir já que estão sob a alçada da Estradas de Portugal.

A alteração aos estatutos da Trofáguas, que passa a denominar-se Trofáguas Serviços Ambientais Entidade Empresarial Municipal, justificada por António Pontes, presidente do conselho de Administração como "uma imposição da Lei das Finanças Locais", foi aprovada com o voto contra de Paulo Queirós que justificou esta votação afirmando "só voto favoravelmente a extinção da empresa", concluiu.