O Motocross é um desporto extremo, carregado de adrenalina e cheio de perigos. Subidas e descidas vertiginosas, saltos, curvas e contracurvas, onde as quedas e as lesões são uma constante. Mas Nelson Silva, piloto trofense de 20 anos, continua a marcar pontos no motocross nacional.

nelson.jpgNelson Silva é piloto de motocross desde os oito anos, e este gosto "surgiu pelo meu pai, que também era piloto de motocross", confidenciou o piloto, em entrevista ao NT. A primeira mota oferecida pelo padrinho, fez com que participasse na primeira corrida em Marco de Canaveses, que segundo confessou "não correu lá muito bem, era a minha primeira corrida, no meio de pilotos que já estavam habituados", agora é profissional de Motocross.

Nos primeiros anos, contava com a ajuda preciosa do pai, mas no ano 2001 ao alcançar o vice-campeonato nacional de iniciados, "consegui com que em 2002 a MotoGarrano, uma grande equipa, apostá-se em mim e a partir daí aprendi com os melhores", asseverou.

Agora soma três vice-campeonatos, na categoria de iniciados, foi Vice-campeão de MX2 em 2006, vice-campeão no Campeonato Nacional de Motocross de sub-21, venceu dois Campeonatos Regionais, e ficou em terceiro lugar no Campeonato Nacional de Supercross, em 2005.

A conduzir uma Yamaha, na equipa Bianchi Prata / Vodafone, Nelson Silva está ainda a recuperar de uma grave lesão na coluna contraída no verão de 2006, durante um treino na pista da equipa. Para além desta lesão, que o impediu de participar no campeonato de Supercross, "já parti dois pulsos e o fémur", afirmou Nelson com uma certa naturalidade, já que, neste desporto é normal, terem que correr este tipo de riscos.

Segundo Carlos Graça, patrocinador do piloto "esta era uma lesão para ele deixar de poder praticar qualquer desporto, mas com muito sacrifício e ajuda das pessoas que o rodeiam, tem evoluído e melhorado as suas capacidades e este ano já tem alguns pódios no Supercross", afirmou.

Nelson sente-se, no entanto, esquecido, pelos trofenses e pelos responsáveis da Câmara Municipal, que "nunca o reconheceram como campeão que é", asseverou o patrocinador, "hoje em dia não é só futebol, mas, neste caso, o motocross e outros desportos, também têm de ser apoiados, para poderem evoluir", acrescentou. Lamentaram ainda o facto de na Trofa não existir um espaço específico onde possam praticar a modalidade. Carlos Graça assegurou que no concelho, "há muitos praticantes amadores, que ao fim-de-semana não têm um local para poderem praticar este desporto, legalmente".

 Tendo agora 20 anos, "esta é a melhor altura para se afirmar no mundo do motocross, porque as provas exigem muito, a nível físico e psicológico, então temos de dar a conhecer o Nelson, para que as pessoas da Trofa possam apoiar este desporto, que é um desporto que está a evoluir no nosso país", concluiu Carlos Graça.

Segundo Lugar no campeonato de SX2

 

A última prova em que Nelson Silva participou, na famosa pista do Areeiro, na Poutena, alcançou o quarto lugar, na categoria de SX2. Participaram 33 pilotos e como habitual, o programa de corridas finais começou com as provas de SX2, cuja primeira metade foi liderada por Nuno Gonçalves, seguido por Sandro Marcos e Hugo Basaúla. Na décima passagem ao circuito, Basaúla conseguiu apoderar-se do comando, que manteve durante algumas voltas. Depois, Sandro Marcos conseguiu destacar-se dos adversários, para confirmar a sua quarta vitória da época. Nuno Gonçalves impôs-se a Hugo Basaúla na luta pelo segundo posto, enquanto Nélson Silva, a rodar de forma consistente no quarto lugar, também acabou a pouca distância da dupla anterior. Assim, na classificação do campeonato, na classe de SX2, Nelson Silva, ocupa o segundo lugar com 96 pontos.

As próximas provas em que vai participar irão decorrer no próximo sábado, 11 de Agosto, em Marco de Canaveses, depois em Arcos de Valdevez, dia 18, e a última prova, dia 25 de Agosto, em Ourém.