A paróquia do país sem feriado que celebra no dia 13 de maio

Este ano, S. Romão teve a imagem de Nossa Senhora de Fátima a percorrer as ruas da paróquia. Várias centenas de pessoas aderiram à peregrinação todos os dias, de 1 a 11 de maio. No dia 13, mais de 30 jovens cumpriram a profissão de fé.

As festas em honra de Nossa Senhora de Fátima, em S. Romão do Coronado, têm 67 anos. A paróquia é “a única do país em que há celebração a um dia da semana e não é feriado na localidade”. Quem o diz é Camilo Faria, coordenador da Catequese e, por inerência do cargo, presidente da Comissão de Festas. Esta, por sua vez, é composta por pais dos meninos do 5º ano de catequese, que no próximo ano cumprem a profissão de fé. Esta celebração é, aliás, um dos pontos altos das festas que, este ano, tiveram outros momentos memoráveis.

Devido “à pouca afluência” das pessoas no terço rezado na igreja, a Comissão de Festas decidiu ter uma imagem peregrina a passar por algumas ruas da paróquia. A ideia não podia ter sido mais bem acolhida. “Passamos de dez a 15 pessoas na igreja para 700 a 800 pessoas na peregrinação. No último dia, 11 de maio, contamos com cerca de mil”, contou Camilo Faria.

Segundo o presidente da Comissão de Festas, a “população aderiu em massa, de alma e coração”, demonstrando “a grande fé e devoção que têm em Nossa Senhora”. Nos lugares por onde a imagem passava, eram os populares que tinham que combinar “quem recitava o terço, quem fazia as leituras, assim como quem levava o andor, a cruz ou as lanternas”. Além de se terem “organizado muito bem”, as pessoas ainda brindavam a peregrinação “com tapetes de flores fantásticos”, descreveu.

No dia 11, a imagem peregrina concluiu o percurso na Capela de S. Bartolomeu, onde os universitários estenderam as capas para o andor passar. Os grupos paroquiais aderiram em grande número, assim como a Junta de Freguesia, que “limpou as ruas e valetas por onde a imagem passou”, e a Câmara Municipal, que “facilitou o corte das ruas”.

Revelando que a peregrinação “excedeu as expectativas”, Camilo Faria não quis deixar de destacar o papel do pároco Rui Alves, pela “abertura total” para que a novidade fosse introduzida no programa das festas.

Camilo Faria revelou que a peregrinação faz parte de um projeto de “três anos”, período necessário para que a imagem peregrina percorra todas as ruas da paróquia.

Esta terça-feira, 34 jovens cumpriram a profissão de fé e integraram a procissão em honra de Nossa Senhora de Fátima, com duração de cerca de três horas, que saiu da Igreja de S. Romão para a Capela de S. Bartolomeu, onde foi rezado o terço, e regressou ao ponto de partida. “Este ano, por iniciativa do padre Rui, convidamos todos os párocos vivos que já exerceram em S. Romão”, acrescentou.

Desde esta quarta-feira e até 31 de maio, há a recitação do terço na Capela, pelas 21 horas.